‘A Amazônia é agradecida ao Papa Francisco’, diz Dom Leonardo Steiner sobre posse como cardeal no Vaticano

O arcebispo de Manaus, dom Leonardo Steiner, foi criado cardeal da Igreja Católica pelo Papa Francisco, em cerimônia realizada neste sábado (27), no Vaticano. Além dele, outros 19 religiosos também passaram a integrar o grupo.

A cerimônia, chamada de consistório, foi presidida pelo Papa e aconteceu na Basílica de São Pedro. Antes da celebração, Steiner falou sobre a gratidão pela nomeação.

“A Amazônia é agradecida ao Papa Francisco pela a nomeação de um cardeal. Somos profundamente agradecidos e reconhecemos a proximidade. Queremos colaborar com o Papa. Ele pediu ao final da nomeação, ainda em maio, que nós rezássemos para que os novos cardeais o ajudassem no ministério petrino como bispo de Roma. E nós desejamos fazer isso com toda confiança para assim podermos servir melhor a nossa Igreja”, disse o novo cardeal.

Consistório para criação de novos Cardeais — Foto: Reprodução YouTube

À Rede Amazônica, o pároco da Paróquia São Francisco das Chagas, em Manaus, frei Paulo Xavier, disse que a escolha do arcebispo demonstra um carinho do Papa pela Amazônia.

“O encontro de hoje foi a consolidação da experiência da Amazônia dentro desse cenário da igreja universal. Nossa gratidão ao Papa que olha para a Amazônia com todo o carinho. A querida Amazônia está no coração do nosso Papa Francisco”, disse.

O religioso também disse que agora o arcebispo de Manaus passa a ser chamado de cardeal da Amazônia e que vai ajudar o papa como um conselheiro para assuntos da região.

“Ele é o cardeal da Amazônia, é aquele que vai ser consultado pelo Papa para uma realidade específica, como um conselheiro. Os cardeais são essas instâncias dentro da igreja que ajudam o papa a governar, a exercer esse grande mandato do Senhor de levar em frente a animação pastoral da igreja, de conversar com as realidades”, afirmou.

G1AM