A vítima está muito indignada, revoltada e chateada’, diz delegada após conversar com mulher abusada por médico

A delegada Barbara Lomba, titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de São João de Meriti, conversou, por telefone, na tarde desta quarta-feira, com a vítima do médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, de 31 anos, no último domingo. Com a ajuda do marido da vítima, a policial contou que ela havia sido vítima do profissional. No começo da noite desta quarta, na saída de distrital, a delegada falou que “a vítima está muito indignada, revoltada e chateada” com tudo o que aconteceu.

Barbara Lomba disse também que a mulher “está com medo, após a proporção que o fato tomou”. Entretanto, ouviu de Lomba que ela “estará amparada por todos os órgãos de proteções, inclusive a Deam de São João de Meriti”.

‘Operação flagrante’: Veja, passo a passo, como equipe de enfermagem desmascarou anestesista preso

Dopada no parto: ‘Não pude pegar meu filho no colo antes de ele falecer’, diz paciente sedada por médico preso por estupro

A mulher teria chorado muito após receber a informação. Ele foi amparada pelo marido, que deverá prestar depoimento nesta quinta-feira. Também deverão prestar depoimento as duas mulheres que deram à luz no domingo. Para Barbará Lomba, essas duas mulheres, ”ao que tudo indica, por conta dos depoimentos, também foram abusadas” pelo anestesista.

Segundo os investigadores, o marido dela, que é aguardado para prestar depoimento nesta quarta-feira, está muito abalado com o crime. Ele era esperado para ir à delegacia ontem, mas não compareceu.

Novos depoimentos: ‘Só lembro a voz dele. Ele falava baixinho no meu ouvido’, disse mulher que registrou queixa contra anestesista

Sedação excessiva: Remédios usados por anestesista preso nas pacientes é ‘extremamente raro’ em cesarianas, diz especialista

Os investigadores deverão contar com a ajuda de psicólogos no momento que a mulher for informada do que aconteceu após o parto.

Primeira noite em Bangu 8

Após a justiça converter para preventiva a prisão do anestesista, a Seap o transferiu para o Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio. O suspeito foi levado Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, conhecido como Bangu 8, pouco depois das 20h. A unidade é destinada a presos que têm nível superior.

Material foi usado para limpar boca de grávida: Gaze usada por anestesista preso por estupro é entregue por enfermeiras à polícia

Relato: ‘Ainda desacordada, veio suja da cirurgia’, diz mãe de outra paciente sedada por médico

Quando chegou ao local, pouco depois das 21h10, detentos do presídio começaram a sacudir as grades, vaiar e xingar o anestesista, como forma de protesto. Assim como em Benfica, por segurança ele ficará em uma cela isolada na galeria F.

 

O médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra durante parto que foi gravado por profissionais do hospital que desconfiavam da conduta dele