Ação contra malária em Manaus terá investimento de R$ 3 milhões e varredura em casas

Quase 4 mil casos da doença já foram registrados em Manaus neste ano.

Aproximadamente R$ 3 milhões serão investidos em ações contra a propagação da malária, em Manaus. O anúncio foi feito pela Prefeitura nesta segunda-feira (6). Na capital já foram registrados 3.992 casos, somente no primeiro semestre deste ano. O número representa um aumento de 13% em relação ao mesmo período do ano passado.

Diferente do sarampo, que concentra maior quantidade de casos na Zona Norte de Manaus, a malária tem mais registros nas Zonas Rural, Leste e Oeste da cidade.

“Houve um aumento em relação ao ano passado. Não podemos deixar que a malária volte pra zona urbana da cidade. É uma doença principalmente da zona rural e por conta do crescimento desordenado da cidade, das invasões não podemos deixar que se espalhe”, disse o secretário de saúde Marcelo Magaldi.

De acordo com estudos realizados pela secretaria de saúde, as áreas mais afetadas estão na zona rural do rio Tarumã, no Puraquequara, além das comunidades distribuídas pelas estradas BR-174 e AM-010. Há também casos em áreas de ocupação nas zonas Leste e Oeste.

Cerca de 90% dos casos de malária foram identificados em áreas rurais, próximo a balneários e perto de mata.

“O mosquito fica em água parada e sombreada. Por isso a maioria dos casos são em áreas próximos a estradas, em ramais, áreas que têm características específicas para o crescimento do Anoplpheles”, disse a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiologica da Semsa, Marinelia Ferreira.

Equipe

São 283 agentes que já prestam serviço para a Semsa e que estarão junto a outros 69, que serão contratados com a verba federal. Esta semana será lançado o edital do processo seletivo para contratação de agentes temporários.

A exemplo dos trabalhos contra o sarampo, os agentes também farão varredura de casa em casa contra a malária.

Como será aplicada a verba

A verba de R$ 3 milhões que deve ser investida no Plano de Intensificação de Controle da Malária em Manaus é de origem federal.

O dinheiro será empregado na contratação de 69 Agentes de Combates a Endemias para atuar na intensificação do controle vetorial, além das ações de borrifações intradomiciliares e especiais, fumacê, tratamento químico entre outros.

Também será programado o anejo ambiental nas áreas de maior concentração de casos. A técnica consiste na inserção de larvicida, uma substância responsável em acabar com as larvas do mosquito da malária.

Também haverá a compra de 10 mil mosqueteiros com inseticidas que serão distribuídos nas localidades da área rural, onde estão concentrados a maior quantidade de casos; serão adquiridos, ainda, veículos e insumos para diagnóstico laboratorial da doença.