Alerta: jet skis devem ficar a 200 metros da praia da Ponta Negra de Manaus

O distanciamento entre embarcações, como lanchas e jet skis, e a praia da Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus, deve ser de 200 metros. O alerta é da prefeitura, que, neste domingo (24), reiterou as regras para uso do complexo turístico. Segundo o Município, situações de risco têm sido verificadas e acompanhadas pela comissão que atua na gestão do parque.

O uso da praia se intensifica neste período de verão amazônico, especialmente aos fins de semana.

A prefeitura afirmou que tem feito o acionamento da Marinha do Brasil, em caso de riscos. “No último fim de semana, um jet sky chegou na marcação das boias de segurança para banhistas e acabou cortando a mesma”, informou a prefeitura.

“Todos que usam barcos e jet ski nas proximidades da Ponta Negra devem manter uma distância determinada e evitar colocar os banhistas e a si próprios em qualquer situação de risco. Nossa maior preocupação é a segurança de todos que frequentam o complexo e a praia. E quando necessário, sempre acionamos a Capitania e a Marinha”, disse o subcoordenador da comissão do parque, Alfredo Cesar Freitas.

De acordo com a prefeitura, a Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental tem intensificado ações de inspeção naval com a liberação de praias após o período mais duro da pandemia.

As inspeções ocorrem, principalmente, na região do Tarumã e nos principais pontos turísticos como Ponta Negra, praia da Lua, praia do Tupé, praia Dourada e Prainha.

Além das atividades de fiscalização, os militares conscientizam e orientam os motonautas e embarcações quanto ao cuidado com os banhistas, mantendo a distância de 200 metros das praias, conforme as Normas da Autoridade Marítima (Normam 03 e 07 /DPC) e a obrigatoriedade do uso do colete salva-vidas (Normam 03 e 05/DPC).

Durante as fiscalizações, são verificados aspectos como documentação da embarcação, dos condutores e da tripulação, material de salvatagem (coletes, boias, extintores de incêndio entre outros), além do limite da lotação da embarcação. Nas abordagens, rotineiramente os inspetores navais ressaltam a importância do uso de equipamentos de segurança necessários para uma navegação segura, como o colete salva-vidas.

Denúncias

 

Para informações, denúncias ou orientações, a Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental coloca à disposição da população os números (92) 99302-5040, que também funciona como WhatsApp, e 185 (Marinha – Emergências Marítimas/Fluviais).

Proibições

 

Com o aumento de frequentadores, a coordenação alerta para a segurança e o bom uso do complexo, lembrando os itens proibidos no parque. Entre eles, um tem chamado a atenção durante as vistorias: as garrafas de vidro.

Os objetos são proibidos na praia por questões de segurança, por serem perfurocortantes. Em média, a comissão que atua na gestão do complexo tem feito a apreensão e recolhido entre 150 e 180 garrafas por semana.

Os permissionários que trabalham no complexo são proibidos, por contrato, de vender bebidas engarrafadas em vidro. A orientação é que o público frequentador não leve para o espaço, garrafas e objetos de vidro, perfurocortantes ou similares, sob pena de apreensão dos itens.

A indicação é que façam uso de garrafas plásticas para transportar bebidas. A comissão que coordena a gestão do parque, faz diversas abordagens orientando e apreendendo os objetos proibidos. “O trabalho é feito como orientação e informação, e as medidas de prevenção devem ser individuais, com a colaboração da população”, destacou a prefeitura.

Na praia e no balneário também não é permitido fazer churrasco ou fogueiras. Banhistas foram flagrados com churrasqueiras e orientados sobre a proibição.

“Solicitamos ainda que pessoas com seus cães de estimação não entrem no rio com os animais. O espaço é público e muitos frequentadores ficam incomodados em tomar banho com cachorros ao lado. A segurança e o bem-estar de todos são nossas maiores preocupações”, completou o coordenador da comissão do parque, Alberto Maciel.

Acesso

 

O acesso à praia do complexo é permitido de segunda a domingo, das 6h às 17h. O horário indicado para banho no Rio Negro é até as 17h. “O horário visa o bom uso da praia, uma vez que a visibilidade no rio Negro, de águas escuras, fica prejudicada com o anoitecer”, ressaltou o Município.

Os salva-vidas atuam no local até as 17h. “A Prefeitura de Manaus ressalta que é importante respeitar as normas de uso do espaço e não ultrapassar o cordão de isolamento na água, colocado pela equipe de salva-vidas do Corpo de Bombeiros, que indica a área de segurança dos banhistas no rio”, destacou.

Os corpos permanentes de segurança, incluindo Guarda Municipal, com ciclopatrulha, a Polícia Militar e bombeiros atuam no monitoramento da praia e na segurança dos banhistas, bem como na segurança e manutenção do patrimônio de todo o complexo. Equipes da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) também reforçam a higiene do calçadão e da praia perene, segundo a prefeitura.

G1AM