Alertas de desmatamento têm queda de 41% em unidades de conservação do Amazonas em outubro

O Amazonas apresentou uma queda de 41% no desmatamento em Unidades de Conservação Estaduais durante o mês de outubro de 2022, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A diminuição aconteceu em comparação com o mesmo período em 2021.

Conforme levantamento, no mês de outubro de 2022, as Unidades de Conservação Estaduais apresentaram um total de 1,60 quilômetros quadrados (km²) de alertas de desmatamento, enquanto no mesmo período no ano anterior foram registrados 2,71 km².

“Em março deste ano, a gente entregou para 15 Unidades de Conservação a Concessão de Direito Real de Uso, as CDRUs, das terras onde moram mais de 7,3 mil famílias. Ninguém sabe proteger melhor a Amazônia do que quem mora na floresta”, afirmou o governador do Estado, Wilson Lima.

Ainda segundo o governador, o modelo de proteção do Amazonas que é defendido é o que busca reduzir desigualdades. “Com as CDRUs, essas famílias podem desenvolver o extrativismo de forma legal e garantir o sustento de suas famílias”, disse.

As Glebas Estaduais também tiveram uma diminuição no período. Em outubro de 2021, as glebas acumularam 3,97 km² em alertas, contra 3,06 km² em outubro deste ano, o que indica uma baixa de 23%.

Juntas, as áreas sob gestão direta do Governo do Amazonas somaram 4,66 km² em alertas de desmatamento, em outubro de 2022, representando uma redução de 30% em relação ao mesmo mês do ano passado, que registrou 6,68 km².

G1AM