AM é o único estado da Amazônia com queimadas acima da média para setembro

Estado registrou recorde em agosto e queimadas persistem, apesar de outros estados da região terem apresentado queda no mês. No acumulado do ano, queimadas sobem no Brasil

O estado do Amazonas é uma exceção no panorama das queimadas em setembro na Amazônia, de acordo do dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Até agora neste mês, é o único dos 9 estados que formam a chamada Amazônia Legal (que ainda inclui Acre, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins) onde as queimadas estão acima da média histórica.

Entre o dia 1º até sábado (28), o estado teve 2.913 focos de queimadas registrados, acima da média para o mês, que é de 2.682. A média considera os dados verificados desde 1998. Nos outros oito estados, setembro marcou a reversão de uma tendência de alta no número de queimadas na região e no bioma Amazônia, após agosto ter registrado os números mais altos desde 2009. Em agosto, o Amazonas bateu o recorde mensal de focos de queimadas.

No ano, ainda há uma alta acumulada tanto para as áreas que envolvem a floresta amazônica quanto para todo o Brasil (veja mais abaixo).

A persistência das queimadas no Amazonas é preocupante, segundo especialistas, já que o bioma não tem fogo provocado por causas naturais, e sim ligado ao desmatamento e à ação humana. Considerado uma das novas fronteiras do desmatamento, o estado está na rota da expansão agropecuária.