Amazonas confirma mais dois casos de varíola dos macacos; total é de 21

O Amazonas registrou, nesta segunda-feira (29), mais dois casos de Monkeypox, mais conhecida como varíola dos macacos. Com isso, o estado contabiliza 21 casos da doença. Desses, 1 foi registrado em Parintins, no interior, onde o paciente morreu, mas em decorrência de complicações de outra doença.

Segundo a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas, os novos casos tratam-se de dois homens, na faixa etária de 25 a 35 anos, e que moram em Manaus.

O órgão disse que os pacientes começaram a sentir os sintomas entre 8 a 15 de agosto, e apresentaram febre, erupção cutânea, fraqueza, dentre outros sintomas.

Os dois estão sendo monitorados pelo órgão, mas não necessitam de internação, e seguem em isolamento domiciliar.

Na sexta-feira passada (26), a FVS disse que 76% dos pacientes que contraíram Monkeypox no estado tiveram “contatos íntimos”, incluindo sexual, com desconhecidos ou parceiros casuais. Os contatos ocorreram 21 dias anteriores ao início dos sintomas da doença.

A FVS orienta que para prevenir a infecção da Monkeypox é necessário:

  • Evitar parcerias sexuais anônimas;
  • No caso do aparecimento de lesões características de Monkeypox, ou diagnóstico confirmado, comunicar as suas parcerias sexuais dos últimos 21 dias, para realização de autoexame;
  • Os casos suspeitos de Monkeypox devem utilizar máscara e roupas cobrindo as lesões;
  • Higienizar as mãos frequentemente;
  • Não compartilhar alimentos, objetos de uso pessoal, talheres, roupas ou roupas de cama;
  • Buscar um serviço de saúde nos casos de aparecimento de lesões (bolhas) ou feridas.