Amazonas confirma segundo caso de varíola dos macacos, aponta FVS

O Amazonas confirmou nesta terça-feira (2) o segundo caso positivo de varíola dos macacos. O primeiro caso da doença foi constatado no dia 27 de julho pela Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES).

Ainda conforme a SES, os dois pacientes são homens, com idades entre 25 e 40 anos, com histórico de viagens recentes ou contato com pessoas não residentes no estado.

LEIA MAIS SOBRE A VARÍOLA DOS MACACOS:

 

Um terceiro homem também teve a confirmação da doença em passagem pelo Amazonas, porém por se tratar de um paciente que mora em outro estado do país, que está em Manaus a trabalho, a notificação será feita na cidade onde ele tem residência fixa, de acordo com orientações das autoridades nacionais em saúde, informou a SES.

A equipe de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) está monitorando, ainda, outros dois casos suspeitos que permanecem em investigação pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde de Manaus (CIEVS-Manaus).

A FVS-AM destaca que, de acordo com o trabalho de investigação e vigilância que vem sendo realizado, os casos são importados. Ou seja, não há, até o momento, casos confirmados de transmissão autóctone (local). Todos os pacientes confirmados têm histórico de viagem recente.

Cenário de Monkeypox no Amazonas

 

Além dos dois casos já confirmados, no Amazonas são, até o momento, seis notificações de suspeitas da doença.

  • 2 confirmados laboratorialmente;
  • 2 suspeitos em investigação pelo CIEVS-Manaus;
  • 1 caso descartado após exame laboratório;
  • Há ainda 1 caso confirmado de paciente residente em outro estado brasileiro e que não será contabilizado como caso do Amazonas.

 

Atendimento

 

A FVS-RCP destaca que toda a rede de saúde, incluindo unidades privadas e públicas, da capital e interior, está orientada para realizar atendimento de casos suspeitos de Monkeypox.

A FVS-RCP acrescenta, ainda, que mantém a vigilância ativa e sensível nos 62 municípios, por meio de nota técnica disponível para as vigilâncias epidemiológicas e laboratorial sobre prevenção e controle da doença.

G1AM