Amazonas foi o 6º estado do Brasil com menor expectativa de vida ao nascer em 2017, diz IBGE

Expectativa de vida do amazonense ao nascer foi de 72 anos no ano passado. Dados sobre mortalidade brasileira foram divulgados nesta quinta-feira (29).

A expectativa de vida de quem nasceu no Amazonas em 2017 é de 72,1 anos. O tempo estimado subiu levemente em relação a 2016, mas, ainda assim, os amazonenses seguem com a expectativa de vida abaixo da média nacional, sendo a sexta menor de todo o Brasil.

Os dados são do Estudo Anual sobre Mortalidade Brasileira, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (29). O estudo permite conhecer os níveis e padrões de mortalidade da população e é um dos parâmetros para o cálculo dos valores relativos às aposentadorias sob o Regime Geral de Previdência Social.

Entre os dois últimos anos houve um leve aumento de 0,3% do tempo de expectativa de vida do amazonense, passando de 71,9 em 2016, para 72,1 no ano seguinte.

Homens e mulheres

A expectativa de vida dos homens é menor do que de mulheres no estado – 68,9 e 75,8 anos, respectivamente. O indicador para os homens segue a tendência nacional e estaduais, que sempre foi menor do que para as mulheres em seus respectivos territórios.

Segundo o IBGE, os maiores diferencias de mortalidade por sexo refletem os altos níveis de mortalidade de jovens e adultos por causa violenta, que incidem diretamente na esperanças de vida ao nascer da população masculina. No Brasil, o valor ficou em 7,1 anos e no estado do Amazonas, em 6,9 anos.

Expectativa de vida ao nascer em 2017 no Brasil — Foto: Claudia Peixoto/G1

Expectativa de vida ao nascer em 2017 no Brasil — Foto: Claudia Peixoto/G1

Idosos

Considerando tanto pessoas de 60 ou 65 anos – idade a partir na qual pode-se definir o indivíduo como idoso – o Amazonas é o estado onde há uma expectativa nessas idades de 20,5 e 16,9 anos. Com isso, entre os estados, o Amazonas apresentou a 5ª e 4ª menores expectativas de vida de idosos, respectivamente.

Mortalidade infantil

A mortalidade das crianças menores de 1 ano é um importante indicador da condição de vida socioeconômica de uma região. O Brasil apresentou uma taxa de 12,8 óbitos de crianças menores de 1 ano para cada 1 mil nascidos vivos.

A taxa de mortalidade infantil no Amazonas ficou em 17,7 por 1 mil, ocupando a 6ª posição dentre as maiores taxas do Brasil.

Fonte: G1