Bolsonaro perde 234 mil votos no Rio, onde construiu carreira política; saiba os bairros

Na busca pela releição, o presidente Jair Bolsonaro (PL) tentará no segundo turno recuperar votos que perdeu em comparação à sua eleição de 2018. O mapa eleitoral de votação mostra que na capital, reduto eleitoral da família Bolsonaro, o presidente perdeu 234 mil votos. As principais perdas estão no subúrbio carioca onde no primeiro turno passado, Bolsonaro venceu em quase todos os bairros, mas agora perdeu espaço para Lula (PT).

No primeiro turno de 2018, Jair Bolsonaro venceu em todas as Zonas Eleitorais do Rio — até Zona Sul, região que historicamente tem desempenhos melhores de candidatos de esquerda. No pleito de quatro ano atrás, o presidente disputou na região mais rica da cidade com Ciro Gomes (PDT). Este ano, porém, Lula venceu em toda Zona Sul, Centro e parte da Zona Norte. O melhor desempenho do petista na cidade foi em Laranjeiras, com 58% dos votos, onde Marcelo Freixo (PSB) melhor performou ao governo do Rio.

No subúrbio, Bolsonaro perdeu a hegemonia em Del Castilho, Meier e Olaria — onde teve seu pior desempenho da região: 37% em 2022 contra 48% no primeiro turno de 2018. O presidente também não venceu na 179ª Zona Eleitoral, que abrange Rio das Pedras, Cidade de Deus e Gardênia Azul, na Zona Oeste do Rio.

O desempenho de Bolsonaro no Rio se assemelha ao do governador Claudio Castro (PL) na capital. Correligionários, o presidente espera o apoio de Castro para melhorar sua votação no segundo turno, sobretudo em cidades do interior, onde o governador venceu com folga seus adversários.

— Já existe a possibilidade bastante avançada de conversar com o governador Zema. No Rio de Janeiro, é do nosso partido. Não vi ao certo, mas o PL fez uma bancada de cento e poucos, 101 deputados, fizemos também alguns senadores. Todos esse pessoal será convidado a conversar conosco para se empenhar durante a campanha. É natural os candidatos se preocuparam mais com a campanha deles do que com a presidencial. Agora a campanha é a nossa. Entendo que isso vai ajudar a gente conseguir os votos suficientes para ganhar as eleições — disse Bolsonaro após a confirmação do segundo turno neste domingo.