Cadela que era usada em assaltos na Zona Sul é adotada

A cachorra Macarena, que era usada por um suspeito de assaltos na Zona Sul do Rio para intimidar e atacar vítimas, ganhou um novo lar nesta quinta-feira (28). O novo responsável pela cadelinha, Danilo Curvo, esteve na 14ª DP (Leblon) para assinar um documento como fiel depositário da cadelinha. Macarena tem entre 2 e 3 anos e é da raça pastor belga malinois (a mesma usada rotineiramente por forças policiais). Pelo menos 150 pessoas entraram em contato com a Subsecretaria Estadual de Proteção Animal para adotar Maca, como a cachorra ficou conhecida.

Participaram da assinatura do documento a delegada titular Daniela Terra e o subsecretário estadual de Agricultura, Leonardo Pinto. A delegada explicou que, após a assinatura desse termo, Danilo passa a ser o novo tutor da Macarena:

— O auto de depósito coloca a cadela sob os cuidados do senhor Danilo, e a partir de agora ele é responsável por ela. O documento permite a ele a tutela do animal.

Danilo disse que ama cães e no sítio onde mora, em Teresópolis, na Região Serrana, Macarena será muito bem tratada:

— Eu não a resgatei, ganhei um presente, quando vi a Maca, acabei me apaixonando é pra mim está sendo uma grande alegria. Amor à primeira vista, ela já é nossa.

A Secretaria estadual de Agricultura, que acompanha o caso desde o início, vai participar da adoção da cadela até a total adaptação dela em seu novo lar.

— Nosso papel é acompanhar a adaptação da Macarena com o novo tutor. Vamos observar o bem-estar tanto emocional e físico nesse momento. Sabemos que o início nunca é tão simples, ela estava acostumada com outro ambiente, outro tutor, vamos fazer esse acompanhamento para garantir que ela vai ficar muito bem — explicou Leonardo Pinto.

Macarena foi retirada das ruas e do antigo dono, Allan Kardec Arêas Santos, de 42 anos, após a prisão dele no último fim de semana. Allan Kardec costumava ficar sempre pelas calçadas de bairros da Zona Sul, principalmente Jardim Botânico. Ele estava sendo investigado pela polícia por usar a cadela para roubar e atacar pessoas. Pelo menos cinco pessoas foram vítimas, entre elas uma inspetora da Polícia Civil.

Allan Kardec possui quinze passagens pela polícia pelos crimes de roubo, lesão corporal, pose de drogas, desacato, violência doméstica e maus-tratos a animais.

EXTRA