Casas da Comunidade da Sharp serão desapropriadas para obras do Prosamim, em Manaus

Casas da Comunidade da Sharp, na Zona Leste de Manaus, serão desapropriadas para obras do Prosamim. O processo de desapropriação, que vai atingir também moradores da comunidade Manaus 2000, alcançará 274 imóveis e deve iniciar ainda neste mês de julho.

Conforme o cronograma da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), nos dias 27 e 28 de julho, serão realizados mutirões para a abertura dos processos de desapropriação dos imóveis.

Antes, nos dias 25 e 26 de julho, equipes sociais estarão na comunidade, entregando os convites e orientando as famílias que serão beneficiadas nesta primeira etapa sobre a documentação a ser apresentada.

De acordo com o coordenador executivo da UGPE, Marcellus Campêlo, as desapropriações na comunidade da Sharp começam pela Frente de Obra 4, que abrange a construção de uma ponte da avenida Altaz Mirim e da primeira quadra habitacional do programa naquela área.

“Nesse quadrante, temos 274 imóveis que precisarão sair para que as obras possam iniciar, portanto, as pessoas que possuem a posse desses imóveis, que já foram cadastrados e certificados em etapas anteriores do programa, agora serão chamadas pela Suhab para entregar a documentação e iniciar o seu processo de desapropriação”, explicou Marcellus.

As desapropriações seguirão o modelo criado desde o início do programa, e que está definido no Plano Diretor de Reassentamento (PDR) do novo Prosamin +. O PDR define as soluções de reposição de moradia e tipo de indenização, conforme a tipologia e uso do imóvel, se residência, comercial ou institucional.

O próximo passo será o início das obras na Comunidade da Sharp, que aguarda apenas a homologação do resultado da licitação e Manaus 2000, que já tem licitação fechada.

G1AM