Caso Bruno e Dom: ‘Colômbia’ e ‘Pelado da Dinha’ dão entrada em presídio de Manaus

Ruben Dario da Silva Villar, conhecido como “Colômbia” e Jefferson da Silva Lima, o “Pelado da Dinha”, presos suspeitos de envolvimento na morte do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Philips, foram encaminhados para o Centro de Detenção Provisória Masculino de Manaus (CDPM 1), nesta segunda-feira (25).

"Colombia" preso em Tabatinga  — Foto: Divulgação

De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), “Colômbia” e “Pelado da Dinha” estavam no Centro de Triagem do sistema prisional desde o sábado (23). Nesta segunda, os dois homens foram destinados para celas em alas comuns do CDPM 1.

g1 procurou a Polícia Federal (PF) para saber onde Amarildo e Oseney estão custodiados, mas ainda aguarda retorno.

Pelado da Dinha' e 'Dos Santos', são transferidos para Manaus

Pelado da Dinha’ e ‘Dos Santos’, são transferidos para Manaus

Investigação

 

No documento enviado à Justiça, o MPF argumenta que Amarildo e Jefferson confessaram o crime. Diz ainda que a participação de Oseney, apesar de negar envolvimento no crime, foi mencionada em depoimentos de testemunhas.

De acordo com o MPF, já havia registro de desentendimentos entre Bruno e Amarildo por pesca ilegal em território indígena. O que motivou os assassinatos foi o fato de Bruno ter pedido para Dom fotografar o barco dos acusados, o que é classificado pelo órgão federal como motivo fútil e pode agravar a pena dos réus.

A denúncia do MPF aponta ainda que Bruno foi morto com três tiros, sendo um deles pelas costas, sem qualquer possibilidade de defesa, o que também qualifica o crime. Já Dom foi assassinado apenas por estar com Bruno, de modo a assegurar a impunidade pelo crime anterior.