Caso Bruno e Dom: outros dois suspeitos devem ser transferidos para Manaus este mês, diz PF

Após o recambiamento de Amarildo da Costa de Oliveira e “Colômbia” para Manaus, a Polícia Federal (PF) também vai transferir os outros dois suspeitos de envolvimento nas mortes do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips. A previsão é que Jeferson da Silva Lima, o “Pelado da Dinha”, e Oseney da Costa de Oliveira, o “Dos Santos”, sejam levados para a capital amazonense ainda neste mês.

Bruno e Dom foram assassinados no dia 5 de junho, na região do Rio Itacoaí, próximo à Terra Indígena Vale do Javari, em Atalaia do Norte.

Manifestação pede justiças para as mortes do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips — Foto: Reuters via BBC

Até o momento, tanto Jeferson quanto Oseney seguem custodiados na delegacia de Atalaia do Norte. Eles estão presos desde junho.

Amarildo e “Colômbia”, que se identifica como Rubens Villar Coelho, chegaram a Manaus no sábado (8). Eles estão detidos na sede da Superintendência da PF do Amazonas, na Zona Centro-Oeste da capital.

Os dois presos deixaram Tabatinga no sábado (9). — Foto: Rôney Elias/Rede Amazônica.

Amarildo, Oseney e Jeferson estão presos desde meados de junho por participação no duplo homicídio. Amarildo e Jeferson já confessaram o crime em depoimentos à PF e à Polícia Civil do Amazonas (PC-AM).

As duas polícias fizeram a reconstituição do caso na semana passada, e utilizaram embarcações possivelmente usadas no crime nas simulações. Jeferson também foi levado para as áreas ondes os crimes ocorreram. Além de serem mortos a tiros, Bruno e Dom foram esquartejados e tiveram os restos mortais enterrados.

Caso Bruno e Dom: polícia encerra reconstituição do crime no Vale do Javari

Caso Bruno e Dom: polícia encerra reconstituição do crime no Vale do Javari

Prisão de ‘Colômbia’

 

“Colômbia” foi preso na quinta-feira (7), por uso de documento falso. Em depoimento à PF, ele negou ser o mandante das mortes do indigenista e do jornalista e disse que não possui qualquer envolvimento no caso. A Polícia Federal apura se o homem chefia a pesca ilegal na região da Terra Indígena Vale do Javari.

A investigação já concluiu que Bruno Pereira foi morto por combater a pesca ilegal na reserva, e Dom acabou assassinado por estar junto com ele. Por esse motivo, a PF investiga se “Colômbia” tem ligação com os assassinatos.

G1AM