Início Saúde Cidade do Rio já contabiliza sete casos da variante Delta

Cidade do Rio já contabiliza sete casos da variante Delta

SMS confirmou mais um homem e outras três mulheres com síndrome gripal por covid-19

 

Rio – A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) do Rio de Janeiro identificou mais quatro casos na cidade de síndrome gripal por covid-19 relacionado à variante Delta, após sequenciamento genômico. Além dos três casos que já haviam sido divulgados, foram notificados mais um homem de 25 anos, morador de Manguinhos, na Zona Norte, e outras três mulheres de 29, 65 e 47 anos, moradores de Campo Grande, Bangu e Santíssimo, na Zona Oeste. Todos já estão recuperados.
Os três casos identificados anteriormente são de homens de 27 e 30 anos, dos bairros de Olaria e Paquetá, e uma mulher de 72 anos, também de Campo Grande. Segundo a SMS, 23 contactantes dos sete casos estão sendo monitorados pela Vigilância em Saúde da pasta, que também segue fazendo o acompanhamento epidemiológico da pandemia na cidade e, em conjunto com a Secretaria de Estado de Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o monitoramento da entrada de diferentes cepas.

A secretaria reforçou que independente da variante, as medidas preventivas são as mesmas. A população deve manter o distanciamento, usar máscaras e higienizar as mãos com álcool 70 ou, quando possível, água e sabão. Também devem ser seguidas outras medidas de proteção à vida estabelecidas pelas secretarias de Estado e municipal de Saúde, que podem ser consultadas em www.coronavirus.rio.

Variante Delta no Rio
O primeiro caso da variante Delta no estado do Rio foi registrado em maio, em um morador de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, de 32 anos. Ele testou positivo para a covid-19, após retornar de uma viagem da Índia. No último dia 5, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio (SES) confirmou que identificou dois novos casos da variante delta de covid-19 na Baixada Fluminense. 
Um homem de 30 anos em São João de Meriti e uma mulher de 22 anos em Seropédica contraíram a variante de origem indiana. Segundo a SES, os sequenciamentos foram confirmados a partir de amostras de casos registrados nos dias 16 e 17 de junho. Na ocasião, a Secretaria Municipal de Saúde de São João de Meriti não descartou que a transmissão possa ter sido local, uma vez que, a princípio, o homem não teve contato com viajantes e não realizou viagens.
Já em Seropédica, a pasta informou que ainda não é possível precisar onde e nem como ocorreu a contaminação pela variante. A Secretaria trabalhava com a hipótese da contaminação ter acontecido em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, após a mulher ter ido ao bairro visitar uma amiga e pouco tempo depois ter testado positivo para a covid-19.