Coração de Dom Pedro I chega ao Brasil em avião da FAB para exposição

Coração de Dom Pedro I está no Brasil

O coração de Dom Pedro I chegou ao Brasil nesta segunda-feira (22), pouco antes das 10h. Transportada pela Força Aérea Brasileira (FAB), a relíquia veio da cidade do Porto, em Portugal, e aterrissou na base aérea de Brasília em uma aeronave VC-99, do Grupo de Transporte Especial (GTE) da Força Aérea Brasileira (FAB).

 

Conservado em formol há 187 anos, o coração do imperador deixa Portugal pela primeira vez e foi trazido ao país em comemoração aos 200 anos da Independência do Brasil, em 7 de setembro.

Na terça (23), haverá uma cerimônia no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Jair Bolsonaro (PL). Segundo o Ministério das Relações Exteriores, a partir da data, o órgão fica exposto “dentro de um vidro” , no Palácio do Itamaraty, até 5 de setembro.

O órgão veio em cabine de passageiros, junto com três autoridades portuguesas e um representante do governo brasileiro. Na base aérea, foi recebido com honrarias, por autoridades como o embaixador de Portugal no Brasil, Luiz Felipe Melo, e os ministros Paulo Sérgio Nogueira, da Defesa, e Marcelo Queiroga, da Saúde.

” alt=”” aria-hidden=”true” />

Avião que transporte coração de Dom Pedro I chega a Brasília — Foto: TV Globo/Reprodução

Por volta das 10h30, o coração foi levado ao Palácio do Itamaraty, em operação “silenciosa”. Já o retorno a Portugal está marcado para 8 de setembro. A Polícia Federal e as Forças Armadas devem fazer a segurança da relíquia neste período.

“É com muita satisfação que nos reunimos nesta manhã, como parte das comemorações alusivas ao bicentenário da independência do Brasil, para receber esta importante relíquia, que representa além da bravura e da paixão, a imensurável força de nosso primeiro imperador, onde estiver o seu tesouro, ai também estará o seu coração”, disse na cerimônia o ministro Paulo Sérgio Nogueira.

 

Coração de Dom Pedro I é levado ao Itamaraty após chegada em Brasília — Foto: Kellen Barreto/TV Globo

O presidente da Câmara Municipal da cidade de Porto, Rui Moreira, ressaltou a notoriedade da vinda da relíquia ao país.

“Em primeiro lugar, é muito importante, simbolicamente para o Brasil, o regresso do coração do vosso primeiro imperador D. Pedro. É muito importante também pra Portugal porque ele foi uma figura crucial na afirmação da liberdade em Portugal. E para a cidade do Porto que eu aqui represento, porque foi ele também que nos libertou dos jugos que tínhamos e foi considerado pela população do Porto como rei soldado”, disse.

VÍDEO: coração de Dom Pedro I é recebido em Brasília com honrarias

“Por isso, esse regresso do coração de D. Pedro é, para todos nós, espero, naturalmente, para os brasileiros, mas também para os portugueses, um momento de grande júbilo”.

 

Negociações

 

O valor gasto pelo governo Brasileiro para trazer o coração de Dom Pedro I não foi divulgado. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, as negociações para a vinda ao Brasil começaram em fevereiro deste ano.

Em Portugal, o Instituto Médico Legal da Universidade do Porto autorizou do ponto de vista técnico, a vinda do órgão. Depois, houve uma votação, na Câmara de Vereadores da cidade do Porto, onde a viagem foi autorizada, por unanimidade.

Coração de D. Pedro I. — Foto: Guilherme Costa Oliveira/ Câmara Municipal do Porto

Coração de D. Pedro I. — Foto: Guilherme Costa Oliveira/ Câmara Municipal do Porto

Vídeo mostra coração de Dom Pedro I, reservado em formol

Vídeo mostra coração de Dom Pedro I, reservado em formol

Esta não é a primeira vez que restos mortais de Dom Pedro I são apresentados nas comemorações da Independência do Brasil. Em 1972, durante a ditadura militar, parte da ossada do imperador foi exposta em várias cidades brasileiras.

Dom Pedro I foi o primeiro chefe político do Brasil e responsável por declarar a independência do Brasil. Os restos mortais dele estão sepultados na cripta imperial, no Parque da Independência, em São Paulo. Já o coração é mantido na capela-mor da igreja de Nossa Senhora da Lapa, em Porto, Portugal.

G1