Criança vítima de torturada recebe alta após mais de dois meses internada em Manaus

A criança de quatro anos que estava internada desde junho no Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Oeste e no Hospital Delphina Aziz, após ter sido torturada, recebeu alta da unidade nesta quinta-feira (18). O pai e a madrasta do menino foram presos por suspeita de participarem das agressões sofridas por ele.

Na ocasião do crime, a delegada titular da DEPCA, Joyce Coelho, revelou que no dia 31 de maio, a mãe da vítima, que pegava o filho aos fins de semana, levou o menino à DEPCA para denunciar os maus-tratos que ele estaria sofrendo, supostamente, pelo pai e madrasta.

No dia 4 de junho, a vítima deu entrada no Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Oeste apresentando vômitos por ter engolido uma moeda de R$ 1. A criança expeliu o objeto e retornou para a casa do pai.

Seis dias depois, no dia 10 de junho, a criança deu entrada novamente na unidade, desta vez, com uma tampa de pasta de dente na garganta, e apresentando um quadro de parada cardiorrespiratória, precisando ser reanimada pela equipe de saúde. Desde então, o menino está em coma.

Prisão de pai e madrasta

 

O pai e a madrasta do menino foram presos na ‘Operação Acalento 1’, no dia 15 de junho. A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) abriu um inquérito, e o que era tratado inicialmente como um caso de maus-tratos, foi configurado como um crime de tortura.

A juíza plantonista Rosália Guimarães Sarmento expediu o mandado de prisão temporária, por 30 dias, do casal, que também era responsável por outra criança de sete anos.

Madrasta e pai foram presos em uma residência no bairro Compensa — Foto: Jucélio Paiva/Rede Amazônica

Durante a manhã desta quarta-feira, a PC-AM cumpriu o mandado e se deslocou até a residência do casal, no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus.

No entanto, os suspeitos não estavam no endereço, e foram encontrados na casa de familiares, no bairro Lago Azul, Zona Norte.

G1AM