Em jogo movimentado, Manaus empata em 1 a 1 com Figueirense na Arena

Os gols foram marcados por Guilherme Pira, que abriu o placar para o Gavião e, por Léo Arthur que deixou tudo igual na etapa complementar.

Em duelo da 11ª rodada da Série C, o Manaus recebeu o Figueirense(SC), na Arena da Amazônia, na tarde deste sábado (18). A partida, que terminou empatada em 1 a 1, só foi encerrada aos 75 minutos do segundo tempo. O atraso foi causado por um apagão nos refletores do estádio. Os gols foram marcados por Guilherme Pira, que abriu o placar para o Manaus e, por Léo Arthur que deixou tudo igual na etapa complementar.

O jogo

O duelo na Arena da Amazônia começou em alta voltagem, e assim como o clima da capital amazonense na tarde deste sábado, o jogo prometia ser quente. No início de jogo, os dois times lançaram-se ao ataque e em uma partida bastante vertical, os catarinenses foram os primeiros a assustar.

O atacante Gustavo Henrique teve grande chance aos dois minutos, mas parou no goleiro do Gavião, Matheus Inácio. O Manaus acordou, em seu jogo característico de maior retenção de bola no meio, a equipe pouco a pouco ia ganhando campo. Com muita paciência, o Gavião só respondeu aos 11 minutos.

Neto Costa em um primeiro momento conseguiu boa escapada, mas finalizou torto. Na sequência ele parou no goleiro Wilson, após uma firme cabeçada. A partida esfriou, com forte calor na Arena, o início frenético cobrou seu preço. Os times passaram a cadenciar mais a partida.

O cenário mais ameno ficou à caráter para o Gavião. Aos 41 minutos, já no fim do primeiro tempo, o Manaus enfim balançou as redes. Pelo lado direito de ataque, Weriton progrediu e fez belo cruzamento, que encontrou na área o atacante Guilherme Pira, que em preciso cabeceio abriu o placar. Manaus 1 a 0.

Na volta do intervalo, o Manaus não teve tempo para fazer nada. Com dois minutos de jogo, os catarinenses já tinham finalizado duas vezes. A primeira com Léo Arthur, que rumou à linha de fundo. Já a segunda empatou a partida. Após cruzamento na área, o volante Gilson Alves não consegue afastar e a bola fica viva na área, por um capricho, ela sobra para Léo Arthur, que no minuto anterior havia acabado de perder um gol, mas dessa vez ele não desperdiça e estufa a rede do goleiro Matheus Inácio. 1 a 1.

Apagão

Com 20 minutos jogados da segunda etapa, o árbitro paralisa a partida após alguns refletores da Arena apagarem. A partida ficou parada por aproximadamente 25 minutos, até ser retomada, quando o cronômetro já marcava os 45 minutos.

Times pouco inspirados

Após a normalização dos refletores, as equipes retomaram a partida, mas o que se viu além de um jogo bastante brigado, foi um show de finalizações erradas.

Aos 48 minutos, Guilherme Pira cara a cara com o goleiro Wilson, desperdiçou grande oportunidade. Em outro momento, Renanzinho fez bela jogada individual, limpou a marcação, mas mandou a bola longe.

O Figueirense só assustou aos 70 minutos, quando novamente Léo Artur recebeu de fora da área e emendou um belo chute que parou no goleiro Matheus Inácio.

Sem maiores emoções, a partida ficou com o placar igual.

Fonte: Acritica