Início Interagindo no Esporte Em jogo quente, Fluminense vence o Flamengo e dorme na vice-liderança do...

Em jogo quente, Fluminense vence o Flamengo e dorme na vice-liderança do Brasileiro

Ganso e Nathan marcam os gols da vitória tricolor por 2 a 1. Gabi descontou para os rubro-negros. Clássico terminou com cinco expulsões

O Fluminense se recuperou em grande estilo da eliminação na Copa do Brasil e venceu o Flamengo, por 2 a 1, no Maracanã, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor abriu o placar no primeiro tempo, com Ganso, de pênalti, e ampliou na segunda etapa com Nathan. O Rubro Negro descontou com Gabi, já na reta final da partida.
A partir de então, o futebol bem jogado deu lugar aos cartões vermelhos. Manoel, Caio Paulista, Marinho e Cebolinha foram expulsos nos minutos finais por causa de confusão. David Braz, no banco do Fluminense, já tinha sido expulso com 5 minutos de jogo.
Continua após a publicidade
Com o resultado o Fluminense chegou aos 48 pontos e alcançou a vice-liderança do Campeonato Brasileiro, mas pode ser ultrapassado na segunda-feira, quando o Internacional enfrenta o Atlético-GO. O Flamengo caiu para a quarta posição e encerrou uma longa invencibilidade de 19 jogos sem perder.
Por causa dos amistosos da Data Fifa, os times terão 10 dias de treinos até voltarem a jogar. No dia 28, uma quarta-feira, o Fluminense recebe o Juventude, no Maracanã, enquanto o Flamengo visita o Fortaleza, no Castelão.
O JOGO
Continua após a publicidade
O Fla-Flu foi quente desde o primeiro minuto. Notabilizados por praticarem um futebol vistoso, os times mostraram muita garra e disposição na recuperação da posse de bola e desarmes feitos por André e João Gomes foram comemorados pelos torcedores presentes no Maracanã como se fossem gols.

A temperatura estava tão alta, que o zagueiro David Braz, do Tricolor, foi expulso aos 5 minutos de jogo por reclamação estando no banco de reservas, com o Fluminense melhor no jogo. Germán Cano, em sequência, finalizou duas vezes com perigo. O Flamengo respondeu com Thiago Maia, que aproveitou o rebote e chutou forte, buscando o ângulo, mas a bola foi para fora.

A partir dos 10 minutos, o Flamengo conseguiu evitar a saída de bola do Fluminense e recuperar a posse no campo de ataque. Isso causou perigo ao gol de Fábio que evitou o pior em chute de Arrascaeta, dentro da área. Apesar da dificuldade, o Tricolor não abriu mão do seu estilo de jogo e seguiu trocando passes em seu campo. Quando saiu da pressão, conseguiu chegar com perigo, com André, que arriscou de fora da área, mas a bola foi para fora.

A dinâmica da partida permaneceu, com o Fluminense tendo mais a bola e o Flamengo marcando no campo ofensivo, porém sem tanta intensidade, buscando mais fechar a linha do passe do que pressionar o jogador que estava com bola. Isso fez com que o ritmo do jogo diminuísse consideravelmente. Sem chances claras de gol, o lance de destaque neste período do primeiro tempo foi a linda caneta de Ganso em João Gomes, apreciada até mesmo pelos rubro-negros.

O Flamengo passou a ficar mais com a bola a partir dos 30 minutos e criou boas chances, mas sem conseguir concluir em gol. Arrascaeta recebeu dentro da área, em condições de finalizar, mas preferiu o passe para Pedro, que acabou sendo cortado pela defesa do Fluminense. Na escapada tricolor, Arias cruzou, mas Germán Cano chutou em cima de David Luiz.

Na jogada, o Fluminense reclamou de um pênalti em cima de Caio Paulista e no lance seguinte foi a vez de Gabi reclamar de uma penalidade cometida sobre ele por Manoel, mas o árbitro marca apenas tiro de meta. Curiosamente o lance quase gerou um gol do Flamengo, já que Arrascaeta recuperou a bola, tocou para Gabi, que de letra, deixou João Gomes na boa para chutar, mas Fábio salvou com o pé o que seria o primeiro gol da partida.

O Fluminense foi recompensado por não abrir mão do seu estilo de jogo e após conseguir superar a pressão do Flamengo, André lançou para Matheus Martins. O atacante invadiu a área e chutou fraco, Santos falhou e deu rebote para Germán Cano, mas o argentino é empurrado por Léo Pereira antes de conseguir a finalização. Pênalti para o Tricolor e gol de Ganso, que cobrou com extrema categoria para abrir o placar, aos 44 minutos.

Assim como no primeiro tempo, a segunda etapa começou muito movimentada. O Fluminense teve chances com Matheus Martins e Germán Cano, enquanto o Flamengo respondeu com Léo Pereira, em cabeçada defendida por Fábio, mas a jogada foi anulada por impedimento. O lance fez a torcida inflamar e o Rubro-Negro passou a pressionar o Tricolor. Aos 11 minutos, Arrascaeta recebeu pela esquerda, cortou para o meio e chutou cruzado, no ângulo, obrigando o goleiro Fábio a fazer mais uma grande defesa.

O Flamengo seguiu rondando a área do Fluminense e finalizou mais duas vezes com Arrascaeta, mas o uruguaio em ambas oportunidades cabeceou para fora. Aos 22 minutos o Rubro-Negro teve mais uma chance, só que com Pedro, que recebeu dentro da área e chutou no canto, mas Fábio salvou o Tricolor.

O Fluminense até tinha campo para avançar quando recuperava a bola, mas faltava velocidade. Em duas oportunidades, Germán Cano e Nathan puxaram o contra-ataque mas não tiveram opções para jogar. O Tricolor só foi assustar aos 27 minutos, com Caio Paulista. O lateral-esquerdo fez fila, driblou três marcadores e foi derrubado na área. Os jogadores pediram pênalti, mas a arbitragem mandou seguir o lance.

A penalidade não foi marcada, mas não fez falta ao Fluminense, que ampliou aos 29 minutos com Nathan. O Tricolor trocou passes dentro da área do Flamengo, de um lado para o outro até chegar em Martinelli. O meia levantou a cabeça e cruzou na medida para o camisa 13 escorar para o gol vazio.

Em bastante desvantagem no placar, o Flamengo partiu para cima com tudo e conseguiu diminuir com Gabi, aos 37 minutos. Éverton Ribeiro cruzou, Cebolinha escorou para o atacante empurrar para a rede e diminuir diferença. O gol incendiou o clássico, mas não de uma forma positiva. O tempo fechou após falta dura de Marinho em Ganso e a confusão tomou conta dos minutos finais.

Marinho e Manoel foram expulsos por trocarem empurrões e depois, com o auxílio do VAR, Raphael Claus deu cartão vermelho para Everton Cebolinha e Caio Paulista. O Flamengo buscou uma pressão, com cruzamentos na área, mas intervenções de Fábio garantiram a vitória tricolor e a vice-liderança da competição.