Entenda como laser pode danificar câmera do celular; fã diz que aparelho teve pane em show de Alok no Rock in Rio

Viralizou nas redes sociais o relato do publicitário Rodrigo Barbosa, de 29 anos, que disse que a câmera de seu celular ficou danificada temporariamente após registrar o show de luzes durante a apresentação de Alok no último sábado (3), no Rock in Rio. “Última foto antes do laser do Alok queimar a câmera do meu iPhone”, compartilhou Rodrigo, que tem um iPhone 12.

g1 entrou em contato com fabricantes e um engenheiro elétrico especializado no assunto, para saber se há esse risco para o aparelho. Eles responderam que o contato direto da luz pode de fato ser prejudicial (entenda os detalhes mais abaixo nesta reportagem).

“Eu queria filmar aquela parte [dos lasers] do show do Alok. No momento em que eu comecei a gravar, o meu celular ficou com algumas linhas coloridas, bem fininhas”, disse ao g1. Após a publicação do publicitário no Twitter, outros casos semelhantes surgiram, mas nem todos aconteceram no festival.

Relato do publicitário Rodrigo Barbosa viralizou no Twitter — Foto: Reprodução/Twitter

Usuário do Twitter relatou o mesmo problema do publicitário  — Foto: Reprodução/Twitter

Usuário do Twitter relatou o mesmo problema do publicitário — Foto: Reprodução/Twitter

LEIA TAMBÉM:

Laser pode danificar a câmera do celular?

 

Os lasers concentram grande potência luminosa. Quando em contato com a câmera, eles podem ocasionar manchas e até comprometer todo o funcionamento do componente.

g1 procurou a Apple para falar sobre o caso de Rodrigo, mas não havia obtido retorno até a última atualização desta reportagem.

Mas, em fevereiro deste ano, um usuário questionou no fórum da empresa se os lasers podem danificar a câmera do telefone. A Apple não respondeu diretamente, mas classificou como “recomendado” o comentário de outra pessoa, destacado abaixo.

“[O laser de uma caneta] não vai afetar a lente da sua câmera. Note que a luz com alta intensidade focada em um objeto transmitirá radiação e criará calor que pode danificar o objeto”.

 

As fabricantes chinesas Realme e Xiaomi informaram que existe o risco.

“Em ambientes externos ou internos, quando há uma fonte de luz extremamente forte, existe a possibilidade de danos ao sensor da câmera do smartphone”, disse a Xiaomi.

 

A Realme, por sua vez, disse que “a câmera do smartphone é um dispositivo óptico no qual a lente direciona toda a luminosidade captada para uma área muito pequena, conhecida como sensor de imagem. O conserto envolve a troca do módulo”.

“Essa energia luminosa focada no sensor pode até queimar e causar estragos irreversíveis”, diz Euclides Chuma, membro sênior do Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE) e pesquisador da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

 

O que diz a empresa responsável pelo laser

 

Público durante show do Alok — Foto: Stephanie Rodrigues/g1

A Laser 3D Show é a empresa responsável pelo equipamento de iluminação do show de Alok no Rock in Rio. Ela explica que, para a apresentação, foram instalados no palco 28 lasers, que estavam a 10 metros de altura do público e apontados para cima.

“A nossa preocupação é muito grande com a segurança do público”, disse Vinicius Wenzel, proprietário da Laser 3D Show, ao g1.

“Fazemos um mapeamento detalhado da área, pois além dos celulares das pessoas, também temos que proteger as câmeras de TV que estavam fazendo a transmissão”, explica.

G1AM