Escolas de Samba lamentam a morte de Gal Costa, ‘doce bárbaro’ da Sapucaí

As Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro lamentam a morte da cantora Gal Costa, aos 77 anos, ocorrida nesta quarta-feira, 09.

Uma das maiores vozes do Brasil, a artista se consagrou no Carnaval Carioca como uma torcedora apaixonada pela Estação Primeira de Mangueira e foi homenageada pela Escola no desfile de 1994, cujo enredo era “Atrás da verde e rosa só não vai quem já morreu”.

Naquele ano, a verde rosa lembrou do grupo Doces Bárbaros, que Gal formou ao lado dos baianos Gilberto Gil, Caetano Veloso e Maria Bethânia na década de 1970. Os versos em homenagem à estrela foram: “(…) Alegria, alegria eu vou / A flor na festa do interior / Seu nome é Gal”.

No Carnaval de 2022, Gal estreou no tradicional Show de Verão da Mangueira, no fim de março, no Vivo Rio. Há três anos, em 2019, fez seu primeiro show na Sapucaí a convite do camarote Folia Tropical.

A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio (LIESA), responsável pelo espetáculo, demonstra solidariedade aos familiares, amigos e fãs de Gal, bem como aos torcedores da Mangueira e à sociedade brasileira, consternada pela perda.

LIESA