Família de Moisés, ex-presidente da Vila Isabel morto a tiros, é assaltada quando ia liberar o corpo

Parentes de Wilson Vieira Alves, o Moisés, ex-presidente da Unidos de Vila Isabel que foi assassinado na noite deste domingo (25), foram assaltados nesta segunda (26), a caminho de liberar o corpo do ex-dirigente para o enterro.

A família estava na Avenida Brasil, na altura de São Cristóvão, seguindo para o Instituto Médico-Legal (IML), quando bandidos disfarçados de ambulantes levaram celulares e uma bolsa em um arrastão.

O sepultamento será no Jardim da Saudade de Sulacap.

A execução

Moisés foi executado na Avenida das Américas, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Segundo as primeiras informações, os assassinos estavam em uma moto.

O ex-dirigente estava indo para a quadra da Portela com sua mulher, Shayene Cesario, que é musa da agremiação, quando foi morto.

Durante a eliminatória do samba-enredo da Portela neste domingo, a morte de Moisés foi anunciada e foi pedido 1 minuto de silêncio.

Quem era Moisés

 

Wilson "Moisés" foi presidente da Vila Isabel — Foto: Reprodução

Militar reformado — ele foi sargento do setor de informação da Brigada de Infantaria Paraquedista —, Moisés chegou à Vila Isabel em meados de 2004 e estava no comando da agremiação no título do Grupo Especial em 2006. Depois, seu filho Wilsinho Alves também foi presidente da escola.

Em 2010, Moisés foi preso na Operação Alvará da Polícia Federal, que investigava a máfia dos caça-níqueis e bicheiros. Ele foi solto no ano seguinte.

Moisés e a mulher, Shayene Cesário — Foto: Reprodução