Família pede Justiça após mulher com deficiência mental ser morta por agressão física em Manaus

A família de Helen da Silva Araújo, de 33 anos, cobra por Justiça após ela ter sido encontrada morta, vítima de agressão física, em Manaus. A vítima estava 10 dias desaparecidas e o corpo dela foi encontrado pelos familiares no Instituto Médico Legal (IML), na sexta-feira (15).

A morte de Helen ainda é misteriosa tanto para família quanto para as autoridades. De acordo com a Polícia Civil, a vítima sofreu agressões no abdômen e chegou a receber atendimento médico no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Conforme o Boletim de Ocorrência registrado pela família, o corpo da vítima estava no IML deste a data do registro do fato.

Ao g1, o irmão da vítima, Hélio da Silva Araújo, contou que a mulher tinha deficiência mental e havia sumido da casa que morava com os familiares há dez dias antes de ser encontrada sem vida. Desde então, eles procuraram por ela, até que o corpo foi reconhecido no IML.

O irmão da vítima contou ainda que a família recebeu informações que Helen teria sido morta na avenida Darcy Vargas, próximo a um shopping da cidade, mas ainda aguardam uma confirmação da polícia.

“A gente não têm nenhuma suspeita. Ninguém viu nada. Está em investigação pela polícia e agora nós estamos aguardando. Nos informaram que teria sido na frente de um shopping. Nós estamos cobrando”, lamentou Hélio.

O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

G1