Famílias atendidas pelo Benefício de Prestação Continuada devem atualizar cadastro até dia 29, em Manaus

Segundo a Prefeitura, mais de 20 mil famílias ainda não realizaram atualização.

A Prefeitura de Manaus divulgou nesta sexta-feira (14) um alerta para que mais de 20 mil famílias atendidas pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC) atualizem a inscrição no Cadastro Único (CadÚnico) até 29 de dezembro. Quem não realizar o cadastro perderá o benefício.

Até o momento, apenas 1,5 mil pessoas procuraram os postos de cadastramento e atualização, segundo a Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc).

Dados da pasta apontam que, das 52.446 mil famílias que recebem o BPC em Manaus, 31.016 estão inscritas no CadÚnico.

Inscrição e Atualização

Para se cadastrar, o responsável familiar deve ter mais de 16 anos, residir com o beneficiário e procurar o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de sua área de abrangência. O endereço pode ser acessado no site da secretaria.

Outra opção é a sede da Semasc, localizada na avenida Ayrão com avenida Ferreira Pena, s/nº, Centro, além da Subcentral do CadÚnico, no Shopping Phelippe Daou, na avenida Camapuã, bairro Jorge Teixeira, na zona Leste.

Para atender os beneficiários, a Semasc montou um cronograma de atendimento com horário especial. Nos dias 22 e 29 de dezembro, o atendimento acontecerá das 8h às 12h, na sede da Semasc, Subcentral do CadÚnico e todos os Cras.

Documentação

Para a realização do cadastro ou atualização, são necessários os documentos do responsável e de todos que moram na residência: Carteira de Identidade, CPF, Título de Eleitor, Certidão de Casamento, Certidão de Nascimento, Carteira de Trabalho e Comprovante de Residência.

A Prefeitura destacou ainda que o número de CPF de todos os membros familiares deve ser registrado no CadÚnico para permitir a identificação do beneficiário e de sua família no momento da avaliação do benefício pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Perda de benefício

De acordo com a subsecretária Operacional e de Assistência Social da Semasc, Jane Mara Moraes, após a data-limite, o beneficiário não receberá mais o benefício.

“Mesmo depois de termos feito todo o processo de mobilização comunicando à população, principalmente sobre o atendimento especial aos sábados, ainda temos uma baixa procura. Iniciamos inclusive o processo de busca ativa nas comunidades ribeirinhas para identificar famílias com dificuldade de acesso”, frisou Jane Mara.

O BPC é a garantia de um salário mínimo mensal à pessoa com deficiência e ao idoso com 65 anos ou mais, que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção, nem de tê-la provida por sua família.