Flamengo não transforma domínio em gols e fica no zero a zero contra o Athletico pela Copa do Brasil

Em um duelo de 180 minutos, o Flamengo precisou fazer um jogo de paciência, contra o Athletico, e também o árbitro Luiz Flavio de Oliveira, mas não saiu do zero na primeira partida das quartas de final da Copa do Brasil, no Maracanã. Diante de um adversário que apostou em um jogo fechado para resolver em casa, a equipe rubro-negra não conseguiu transformar a esmagadora superioridade em gols.

Apesar da posse de bola de mais de 70% e de dois lances com maior perigo de Gabigol, um deles que parou no travessão, faltou eficiência, embora Dorival Júnior tenha tentado de tudo. O único erro talvez tenha sido tirar Éverton Ribeiro, que vinha bem. No fim, o zagueiro David Luiz ainda foi expulso por reclamação. Antes, houve protesto por suposto pênalti sobre Léo Pereira. Thiago Maia também levou o terceiro amarelo e desfalca no jogo de volta em Curitiba.

O Flamengo foi a campo com Pedro e Gabigol no ataque. A dupla, desta vez, não se entendeu tanto, e esteve em noite de pontaria ruim. No início, foi Pedro quem teve algumas chances, mas nos desvios parou no goleiro ou chutou para fora. A partir da pressão inicial, o Flamengo cercou a área adversária com meias e atacantes, mas não conseguiu fazer um jogo de profundidade. Diferente de outros jogos, Rodinei não subiu com tanta qualidade e os arremates acabavam sendo mais de longe. Ao costurar o jogo de um lado para o outro, Éverton Ribeiro e Arrascaeta chegavam no máximo até a entrada da área, onde uma parede defensiva do Athletico parecia intransponível.

No segundo tempo, o cenário não mudou. O Athletico ensaiou ir ao ataque, mas depois recuou novamente. Nesse momento, Dorival lançou Vidal e Cebolinha de uma vez. O volante estreou no Maracanã com maior presença ofensiva que João Gomes e Thiago Maia. E o atacante conseguiu, em uma variação para o 433, apoiar pelos dois lados, potencializando a presença de Rodinei. No primeiro cruzamento mais perigoso após ganhar rara jogada na ponta, Gabigol parou no corte do zagueiro quase sobre a linha. Em seguida, em passe de Thiago Maia, no travessão.

EXTRA