Garotada tricolor derruba a Portuguesa e garante Fla-Flu na decisão do Carioca

Fluminense e Portuguesa já haviam feito uma grande partida no primeiro confronto pela semifinal do Campeonato Carioca, no último domingo, e repetiram a dose nesta tarde. A vitória por 3 a 1 do tricolor, com gols e ótimas atuações de Martinelli, Gabriel Teixeira e Kayky, encerrou a bela campanha da Lusa da Ilha do Governador, que disputou as semifinais do estadual pela primeira vez em sua história, e garantiu à molecada de Xerém a primeira decisão de campeonato em suas carreiras profissionais.

O Carioca será definido nos Fla-Flus de número 432 e 433. Não haverá vantagem do empate na decisão, e uma igualdade no placar agregado leva a definição à disputa de pênaltis.

O técnico Roger Machado escalou novamente uma equipe mista, decisão esperada dada a maratona de viagens ao qual o Flu esteve envolvido pela disputa da Libertadores. Do empate em 1 a 1 contra o Junior Barranquilla, apenas Marcos Felipe, Nino, Martinelli e Yago começaram o duelo como titulares.

Em jogo aberto, o Fluminense encontrava espaços pelo meio, em triangulações com boa participação de Ganso, mas pecava nas finalizações. Pelo lado da Lusa, as chegadas em velocidade pelas laterais assustaram a defesa tricolor. Foi numa dessas trocas de passe que o Flu abriu o placar: o camisa 10 tricolor tabelou com Yago e rolou para o volante acertar lindo chute colocado da entrada da área.

Com o empate em 1 a 1 na primeira partida e a vantagem do empate para o lado tricolor, aabertura do placar obrigou a Portuguesa se expor. A Lusa mostrou a valentia de uma equipe que encerra o estadual com uma única derrota contra os quatro grandes do Rio. Jogando com dores, no sacrifício, o atacante Jhulliam era o mais perigoso da equipe insulana, e foi justamente com ele que a equipe chegou ao empate: foi derrubado por Marcos Felipe após receber belo lançamento, e Chay cobrou bem a penalidade para empatar.

Kayky desequilibra

No segundo tempo, Roger lançou mão de Kayky. A velocidade e os dribles do jovem atacante de 17 anos mostraram mais uma vez por que ele é titular absoluto na equipe. Com dez minutos em campo, o atacante recebeu de Martinelli em profundidade pela direita e cruzou para Gabriel Teixeira desempatar.

Dez minutos depois, Kayky matou a partida, após um novo passe de Martinelli. Em de velocidade pela direita, foi mortal: ganhou da defesa na velocidade e botou entre as pernas de Neguete para dar números finais à partida.