Homem tem pênis estrangulado por uma porca de aço de dois centímetros colocada na região para ‘aumento sexual’

Um homem vietnamita, de 24 anos, precisou da ajuda de uma broca odontológica para remover uma porca de aço de 2,2 centímetros de espessura que havia sido colocada ao redor do eixo do pênis para “realce sexual durante a masturbação”. O objeto, que permaneceu durante dez horas na região, foi utilizado para simular o acessório erótico chamado de anel peniano, mas provocou um estrangulamento do órgão. A situação levou o homem a buscar a emergência hospitalar, e o caso foi relatado na revista científica Journal of Medical Case Reports por médicos do Hospital Cho Ray, no Vietnã.

De acordo com a publicação, o paciente colocou a porca hexagonal de aço no pênis para “aumento sexual”, mas não conseguiu retirá-la após a masturbação. Assim, depois de dez horas, ele deu entrada no serviço de emergência com dores, dificuldade para urinar e diminuição da sensibilidade na genitália. Segundo os médicos, não havia necrose no órgão e o caso foi enquadrado como uma lesão peniana de grau III.

O homem recebeu analgésicos e sedativos para a dor, e os médicos passaram a tentar realizar a retirada do objeto com o auxílio de lubrificantes, mas não tiveram sucesso devido ao quão apertada a porca estava na região. Eles recorreram então a um colega dentista que utilizou uma broca odontológica para conseguir cortar o objeto, em um procedimento que durou cerca de 45 minutos.

Depois de cortá-la em dois pontos, a porca foi retirada com sucesso do pênis. O objeto media 2,7 cm de diâmetro interno, 4,1 cm de diâmetro externo e 2,2 cm de espessura.O paciente foi colocado em uso de antibióticos para evitar infecções bacterianas e passou por uma consulta psiquiátrica para que fosse avaliado um comportamento autolesivo, o que foi descartado. Ele teve alta um dia após a internação, sem intercorrências.

De acordo com o relato publicado, o estrangulamento peniano pode causar quadros graves como edemas, isquemias e até mesmo levar à amputação da genitália. Eles destacam que, embora esse caso tenha sido solucionado de forma rápida, quadros que demorem a buscar ajuda médica podem ser extremamente perigosos.

“Enquanto em nosso caso, a remoção da porca foi feita com segurança em um paciente apresentado após 10 horas de estrangulamento peniano, evidências mostraram que o estigma associado à disfunção erétil e à masturbação pode contribuir para a apresentação tardia na maioria desses casos”, escreveram os médicos.

Eles explicam que a colocação do objeto pode ser motivada por curiosidade sexual e uma ideia de que aumentaria a performance sexual. Alguns acessórios eróticos envolvem o aperto da genitália para retardar a ejaculação, como é o caso do anel peniano, mas devem ser utilizados com cuidado e orientação especializada para evitar problemas de vascularização na área, alertam especialistas.

“Em adolescentes e homens jovens, a razão mais comum para a utilização desses corpos estranhos é principalmente a masturbação e a curiosidade sexual. Por outro lado, adultos de meia-idade e idosos usam objetos estranguladores para aumentar a intenção autoerótica e melhorar o desempenho sexual de pacientes com disfunção erétil”, escreveram os médicos vietnamitas.