Jornalista que falou em ‘matar um monte de judeus’ vai ser candidato ao Senado

RIO — O jornalista José Carlos Bernardi anunciou em suas redes sociais que é pré-candidato ao Senado em São Paulo. Filiado ao PTB, o ex-comentarista da rádio Jovem Pan ficou conhecido por falar em “matar um monte de judeus”.

Em post publicado nesta sexta-feira, Bernardi afirma que tomou sua decisão de concorrer nas eleições depois de “um tempo de jejum e oração, buscando a direção de Deus”.

Bernardi finalizou o anúncio com o lema “Deus, Família, Pátria e Liberdade”, que costuma ser repetido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

Declaração sobre judeus

Durante uma transmissão ao vivo, em novembro do ano passado, o ex-comentarista afirmou que o Brasil poderia enriquecer com a morte de judeus e a apropriação do poder econômico deles.

— É só assaltar todos os judeus que a gente consegue chegar lá. Se a gente matar um monte de judeus e se apropriar do poder econômico deles, o Brasil enriquece. Foi o que aconteceu com a Alemanha pós-guerra — afirmou o jornalista em participação na rádio.

Presidente: Bolsonaro recebe vaias e gritos de apoio em jogo na Vila Belmiro

O comentário recebeu críticas por parte dos integrantes da comunidade judaica, que classificaram a declaração como antissemita. O grupo Judeus pela Democracia disse que a fala se apoia no mito antissemita da riqueza dos judeus e ignora totalmente os diversos fatores econômicos que alçaram a Alemanha ao patamar de desenvolvimento atual.

Após a declaração, Bernardi foi demitido da rádio e exonerado do gabinete do deputado Campos Machado (PTB), na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), onde ocupava um cargo comissionado.