Juntos, 7 aeroportos da Amazônia movimentaram mais de 1,1 milhão de passageiros nos três primeiros meses do ano

Juntos, sete aeroportos da Amazônia movimentaram mais de 1,1 milhão de passageiros nos três primeiros meses de 2022. As informações são da Vinci Airports, que assumiu as operações dos sete terminais.

Os aeroportos estão estão localizados em Manaus, Tefé e Tabatinga, no Amazonas; em Rio Branco e , Cruzeiro do Sul, no Acre; Porto Velho, em Rondônia e Boa Vista, em Roraima.

Os terminais passaram a integrar a Concessionária dos Aeroportos da Amazônia, empresa que faz parte da rede Vinci Airports.

O contrato de Concessão, com duração de 30 anos, foi assinado com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). “A cooperação efetiva entre a concessionária e a Infraero tornou possível a realização de uma transição tranquila”, ressaltou a empresa.

Juntos, os aeroportos foram responsáveis por pouco mais de 18 mil voos e movimentaram mais de 1,1 milhão de passageiros nos primeiros três meses de 2022.

De acordo com a Vinci Airports, nos primeiros três anos da concessionária, serão realizadas intervenções nos aeroportos,.

A empresa informou que, desde o início das operações, foi estruturado um plano de ações imediatas que compreende: a revisão e manutenção de todos os sistemas (incluindo refrigeração, eletricidade, elevadores, escadas rolantes e o sistema de esteiras de bagagem); substituição da iluminação convencional por LED, tecnologia mais sustentável; reparos gerais nos banheiros; e a disponibilização de Wi-Fi gratuito e de alta velocidade.

Especificamente no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus, a concessionária deu início à reformulação do sistema de climatização, com a implementação da primeira etapa de um pacote de medidas emergenciais para melhorar o conforto térmico dos passageiros.

“Até setembro, será concluída a instalação de novos equipamentos de 5 milhões de BTUs de potência, visando o bem-estar dos passageiros e funcionários”, destacou.

No último trimestre deste ano, serão iniciadas as obras estruturais no terminal. Segundo a empresa, a sala de embarque será o primeiro espaço a passar pelas melhorias.

Em julho, o Manaus Airport ampliou a oferta de voos para a Cidade do Panamá, por meio de um trabalho conjunto com a Copa Airlines. Com a medida, a capital agora dispõe de quatro frequências internacionais na semana. A ação reforça o compromisso da concessionária em conectar cada vez mais pessoas e territórios.

Lojas regionais

 

A concessionária afirmou que está trabalhando para ampliar as ofertas de lojas e estruturar um mix regional para os passageiros.

“Em julho, foi inaugurado um restaurante com comidas saudáveis na área de embarque e estão em andamento as negociações para ampliar e diversificar as opções”, disse.

Meio ambiente

 

Como tem sido feito em Salvador, a concessionária dos Aeroportos da Amazônia informou que desenvolverá soluções para a preservação do meio ambiente nos outros aeroportos.

“Elas se darão principalmente em 4 esferas: redução das emissões de carbono – destacadamente através da instalação de placas solares, diminuição do consumo de água potável, gestão de resíduos e preservação da biodiversidade”, disse a empresa.

Este plano global permitirá apoiar de forma sustentável o desenvolvimento da região, especialmente em Manaus, onde está o terceiro maior aeroporto de cargas do Brasil.

A diretora-presidente da Concessionária dos Aeroportos da Amazônia, Karen Strougo, afirmou que Manaus Airport é um polo de desenvolvimento econômico e social da região.

“A concessionária irá trabalhar para desenvolver os negócios de carga dessa plataforma através da otimização de suas operações”, disse.

Vinci Airports

 

A Vinci Airports é considerada a principal operadora de aeroportos privados do mundo. Administra 53 aeroportos em 12 países da Europa, Ásia e Américas.

A concessionária afirma que se tornou o primeiro operador aeroportuário a iniciar a implementação de uma estratégia ambiental internacional, em 2016, com vista a atingir emissões líquidas zero em toda a sua rede até 2050.

G1AM