Manaus registrou os dois dias mais quentes do ano no fim de semana, diz Inmet

Em pleno verão amazônico, Manaus registrou os dois dias mais quentes do ano no último fim de semana, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). No sábado (6) e domingo (7), os termômetros na capital amazonense chegaram a 35,2°C.

Ainda de acordo com Inmet, as temperaturas máximas foram atingidas por volta das 15h. Na segunda-feira (9) o calor também foi intenso, e os termômetros apontaram 35º, a segunda maior máxima do ano.

Até então, o recorde de calor do ano havia sido alcançado no dia de 12 de fevereiro (34,8º), e nos dias 26 e 28 de julho (34,7º).

Nos últimos 30 anos (de janeiro de 1991 até 31 de dezembro de 2020), o recorde de temperatura máxima registrada na estação meteorológica do Inmet foi de 39°C, no dia 21 de agosto de 2015.

Confira os dias mais quentes do ano na capital amazonense, conforme o Inmet:

  • 6 e 7 de agosto: 35,2º;
  • 8 de agosto: 35º;
  • 12 de fevereiro: 34,8º
  • 26 e 28 de julho: 34,7º

 

Manauaras precisam redobrar cuidados

 

Segundo o médico Erasmo França, do Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, o manauaras precisam redobrar os cuidados neste período.

“Manter a hidratação e realmente beber muita água é essencial, porque além de repor as perdas, como o suor, por exemplo, faz parte da manutenção do nosso sistema”, explica.

 

De acordo com ele, alguns cuidados com a pele devem ser tomados, como evitar a exposição prolongada ao sol e usar protetor solar. As medidas evitam doenças como insolação e câncer de pele.

Optar por pratos cozidos, caldos, além de frutas neste período também são boas opções, de acordo com o médico.

Alguns dos sinais e sintomas comuns do sofrimento com o calor nesta época são a sede excessiva, sudorese excessiva, eritema (vermelhidão na pele), letargia (lentificação do pensamento), mal estar e desidratação.

“É importante evitar a exposição ao sol em horários de picos, mas caso precise sair, use sempre protetor solar, bonés, sombrinhas, além de dar preferência por lugares ventilados”, destacou.

G1AM