Mulheres formam apenas 34% das candidaturas registradas no Amazonas, aponta TSE

Apenas 217 mulheres vão disputar as eleições gerais deste ano, para os cargos de deputado estadual, federal, senador, governador e vice, no Amazonas. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o número representa 34% do total de candidaturas registradas e é menor que o contabilizado no pleito de 2018, quando 264 mulheres se candidataram aos cargos.

Os números apontam uma aguda sub-representatividade feminina no cenário político amazonense. De acordo com a Justiça Eleitoral, as mulheres formam a maior fatia dos cidadãos aptos a votarem em todo o estado, 51%. Os homens representam 49%.

Total de registro candidaturas nas eleições 2022 no AM
Número total para todos os cargos
Homens: 416Mulheres: 217

Segundo a atual legislação brasileira, os partidos são obrigados a reservar pelo menos 30% do total de candidaturas para as mulheres nas eleições proporcionais (deputado estaduais, distritais, federais e vereadores).

Em toda a história, o Amazonas nunca elegeu uma mulher ao cargos de governo estadual e vice. No Senado, somente uma mulher conseguiu ser eleita pelo estado.

Confira quantas mulheres vão participar em cada cargo nas eleições deste ano no Amazonas:

Para o cargo de governador do Amazonas, no qual há o registro de oito candidaturas, as mulheres possuem dois nomes.

  • Homens: 6
  • Mulheres: 2

 

Para disputar o Senado, sete pessoas oficializaram a candidatura, entre os quais:

  • Homens: 6
  • Mulher: 1

 

Já para a disputa das oito vagas na Câmara Federal, a Justiça Eleitoral aponta que 166 nomes foram formalizados. A maior parte também é formada por candidatos homens.

  • Homens – 104
  • Mulheres – 62

 

Para o cargo de deputado estadual, o TSE informou que foram registradas 430 candidaturas:

  • Homens – 290
  • Mulheres – 140

 

Baixa representatividade

 

As últimas eleições gerais no Amazonas foram marcadas pelo aprofundamento da desigualdade de gênero na política amazonense.

Em 2018, nenhuma mulher foi eleita para os cargos majoritários (governador, vice-governador e Senado).

Na bancada amazonense na Câmara Federal, também não foi eleita nenhuma representante do público feminino. Na época, o estado reelegeu dois homens, e outros seis foram alçados ao cargo pela primeira vez.

Na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o estado também patina na equidade de gênero. No último pleito, do total de 24 cadeiras, apenas quatro mulheres foram eleitas para ocupá-las.

G1AM