Passageira é presa no Aeroporto de Confins após cuspir e chutar comissária dentro de avião

Vídeo mostra movimentação dentro de avião após mulher agredir comissária

Uma passageira foi presa no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, na Região Metropolitana da capital mineira, após cuspir no rosto e chutar uma comissária na tarde desta sexta-feira (15). (Veja vídeo acima da movimentação na aeronave após a agressão)

A confusão aconteceu já dentro de um avião da Azul, momentos antes da decolagem com destino a São Paulo . A prisão foi realizada pela Polícia Federal (PF). 

“Era um casal , os dois já estavam brigando entre eles antes do embarque. Eles entraram no avião e começou uma discussão boba dela com outros passageiros. A mulher pediu que o pessoal calasse a boca e disse que todo mundo estava com inveja dela”, contou Fabrício Oliveira, de 32 anos, que estava no mesmo voo.

Segundo ele, a comissária tentou conversar com a passageira, que estava sentada. Em seguida ela se levantou, cuspiu na funcionária e a agrediu fisicamente.

“O piloto disse que retornaria e falou da agressão. Funcionários da companhia entraram no avião e ela (a passageira) ficou resistente. Com a chegada da Polícia Federal, ela ficou quietinha. Ficamos cerca de uma hora com o avião parado, o voo estava previsto para chegar a São Paulo às 14h15 e só fomos chegar às 15h35”, detalhou Oliveira.

Segundo a PF, a mulher “demonstrou comportamento inadequado e foi encaminhada, preliminarmente, a uma instituição hospitalar para avaliação psiquiátrica”.

Segundo a polícia, ela deverá ser encaminhada à Superintendência da Polícia Federal, em Belo Horizonte. Ainda conforme a instituição, a passageira poderá responder por crime contra a honra, pelas ofensas e por lesão corporal.

O que diz a Azul

 

“A Azul informa que o voo AD 5008 precisou retornar para o aeroporto de Confins, para desembarcar uma Cliente indisciplinada que apresentava sinais de embriaguez, chegando, inclusive, a agredir uma comissária. A Polícia Federal foi prontamente acionada para conter e conduzir a Cliente após o desembarque. A companhia está prestando toda a assistência à Tripulante e lamenta eventuais aborrecimentos ocorridos aos demais Clientes e ressalta que medidas como essas são necessárias para conferir a segurança de suas operações”.

G1