‘Patético’, ‘desqualificação’: Simone Tebet e Soraya Thronicke reagem a falas machistas de Bolsonaro

As candidatas à presidência da República Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (União Brasil) reagiram às declarações machistas feitas pelo presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição pelo PL, em seu discurso de 7 de setembro.

Após o desfile cívico-militar em Brasília, o Bolsonaro conclamou os apoiadores a compararem as primeiras-damas, fazendo menção a Michelle Bolsonaro e à mulher de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a socióloga Rosângela da Silva, a Janja. Ele ainda usou o palanque para dizer que é “imbrochável”. E puxou um coro com esses dizeres no público presente.

― Podemos fazer várias comparações, até entre as primeiras-damas. Não há o que discutir. Uma mulher de Deus, da família e ativa na minha vida. Não é ao meu lado, não, às vezes ela está na minha frente. Eu falo aos homens solteiros: procure uma mulher, uma princesa, se case com ela para serem mais felizes ainda — disse o presidente, que depois puxou para si o coro de “imbrochável”.

No Twitter, Tebet afimou que “o Presidente mostra todo seu desprezo pelas mulheres e sua masculinidade tóxica e infantil.” A candidata do MDB disse que “como brasileira e mulher” se sentia “envergonhada e desrespeitada”.

Já Soraya Thronicke afirmou que Bolsonaro “insiste em propagar que é imbrochável – informação que, sinceramente, não interessa ao povo brasileiro”.

Bolsonaro, que enfrenta rejeição do eleitorado feminino, conta com a participação de Michelle na campanha, já que a primeira-dama é popular entre o público evangélico.