Polícia começa a ouvir conhecidos de estudante de enfermagem achada morta em Manaus

Corpo de Bruna Rodrigues, de 23 anos, foi encontrado em rua da Colônia Japonesa, no Parque 10, na manhã de segunda-feira (21).

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) começou a ouvir, nesta terça-feira (22), familiares e conhecidos da estudante de enfermagem Bruna Freitas Rodrigues, de 23 anos. A jovem foi encontrada morta com marcas de tiros na Colônia Japonesa, Zona Centro-Sul de Manaus, na manhã segunda (21).

Por meio de nota, o delegado titular da DEHS, Jeff David Mac Donald, informou que as investigações em torno do caso já estão em andamento. Ele disse que detalhes não podem ser repassados para não atrapalhar as diligências em torno do caso.

“O delegado explicou que as equipes da DEHS estão realizando diligências e averiguando todas as informações com intuito de elucidar o delito e, assim, identificar e prender os envolvidos no crime”, disse a Polícia Civil em comunicado.

Familiares intrigados

Durante o velório da estudante, no início da noite de segunda-feira (21), a família da vítima disse não imaginar o que pode ter motivado o assassinato da jovem.

No dia do crime, familiares disseram que a vítima saiu de casa, no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus, para buscar a avó no bairro São Jorge, para fazer exames médicos.

Bruna Rodrigues foi morta a tiros em Manaus (Foto: Reprodução/Facebook)

Bruna Rodrigues foi morta a tiros em Manaus (Foto: Reprodução/Faceb

No meio do caminho, ela teve o carro abordado por criminosos e foi sequestrada. Pouco tempo depois, ela foi achada morta na rua Heisei, na Colônia Japonesa, bairro Parque 10 de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus.

A vítima tinha um namorado que, até a noite de segunda, não tinha sido localizado. “Falaram por aí que mataram ela por causa dele, mas a gente não sabe de nada, até então ele ser um suposto traficante de drogas é algo novo pra gente, que a gente não sabia”, disse uma familiar, que não quis ser identificada. Familiares e amigos comentarem morte de Bruna nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook)

Fonte: G1