Prefeitura de Manaus alerta para a importância da vacina pentavalente que protege contra formas graves de cinco doenças

 

Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), alerta a população para a importância do esquema vacinal completo da pentavalente, um dos principais imunizantes para crianças menores de 1 ano de idade, sendo uma combinação de cinco vacinas, que protegem contra as formas graves de cinco doenças, e deve ser administrada em três doses.

No primeiro quadrimestre deste ano, a cobertura vacinal da pentavalente foi de 69% em Manaus, quando a meta estipulada pelo Ministério da Saúde é de 95%. O levantamento é do Sistema de Informação do Programa Nacional de Informações (SI-PNI).

“A baixa cobertura vacinal significa que as nossas crianças estão vulneráveis para contrair doenças imunopreveníveis e podem acabar com sequelas, por isso pedimos que os responsáveis não deixem de levar seus filhos até as salas de vacina da Semsa. A Pentavalente é uma das vacinas prioritárias do calendário infantil, e é monitorada pelo Ministério da Saúde, através do programa Previne Brasil”, informa a secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe.

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica, Ambiental, Zoonoses e da Saúde do Trabalhador da secretaria, Marinélia Ferreira, explica que a Pentavalente garante proteção contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, e contra a bactéria haemophilus influenza b, que pode causar infecções no nariz, meninge e na garganta. De acordo com ela, o imunizante começou a ser ofertado à população, através do Sistema Único de Saúde (SUS), em 2012, quando foi incorporado pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).

“As crianças devem tomar três doses da vacina antes de completar 1 ano de idade,  aos 2 meses, 4 meses e 6 meses de vida. É importante que os responsáveis não deixem a vacina atrasar, e se isso acontecer, eles devem buscar uma unidade mesmo assim, o quanto antes, para atualizar o ciclo de imunização”, orienta a diretora.

Redes sociais

Com o intuito de sensibilizar a população, a Semsa está intensificando o uso das redes sociais para divulgar informações seguras e confiáveis sobre as vacinas do calendário básico. O objetivo é garantir que as pessoas tenham informações sobre o esquema vacinal adequado, o perigo das doenças que podem ser evitadas com a vacina, e as formas de acesso ao serviço.

Os usuários podem acompanhar as postagens, além de tirar dúvidas, por meio dos perfis oficiais da secretaria no Instagram (@semsamanaus) e no Facebook (Semsa Manaus).

Para atualizar a caderneta de imunização, os usuários podem usar uma das 171 salas de vacina da Semsa, portando documento oficial de identificação e o cartão de vacina. A lista com os horários e endereços pode ser acessada no site da secretaria (semsa.manaus.am.gov.br) e no link bit.ly/salasdevacinamanaus.

Doenças

A vacina Pentavalente protege contra cinco doenças, que podem se manifestar de forma agressiva nas crianças em caso da falta do imunizante

Tétano

 

Doença infecciosa grave que pode causar rigidez muscular em todo o corpo, necessitando internação prolongada em UTI e podendo ocasionar a morte. A bactéria é encontrada nas fezes de animais e seres humanos, na terra, nas plantas, em objetos e pode contaminar pessoas que tenham lesões na pele.

Difteria

 

Doença transmissível que acomete prioritariamente a garganta, podendo apresentar, nos casos graves, dificuldade para respirar e desidratação. A transmissão acontece pelo contato direto com a pessoa doente, que elimina gotículas das bactérias por tosse, espirro ou lesões na pele.

Hepatite B

Acomete o fígado e geralmente apresenta náuseas, vômitos, mal-estar, febre, cansaço e perda de apetite. Alguns casos podem apresentar urina escura, fezes claras, olhos e peles amareladas.

Meningite pela bactéria haemophilus

 

Acomete prioritariamente crianças menores que cinco anos, podendo causar lesões graves como paralisias, coma e morte.

Coqueluche

 

Doença transmissível que pode ocasionar tosse intensa, desidratação, cansaço e falta de ar. Em casos graves pode levar a complicações respiratórias e morte.

Texto – Victor Cruz / Semsa

Fotos  – Henrique Souza / Arquivo Semsa