Rayssa Leal comanda show e é campeã mundial de skate street

Com temporada excelente, Rayssa Leal confirmou o favoritismo na etapa do Super Crown e subiu ao lugar mais alto do pódio neste final de semana

Na manhã deste domingo, 06, Rayssa Leal voltou a dar show nas pistas de skate. Desta vez, a atleta entrou em ação no Rio de Janeiro e disputou o ‘Super Crown‘, que define o título mundial da temporada. Com o apoio de milhares de torcedores, a ‘Fadinha’ não decepcionou e, apesar do susto ao sofrer uma tensão respiratória no início da competição, subiu ao lugar mais alto do pódio como campeã.

Com o maior somatório do dia, Rayssa desbancou as demais adversárias e fechou o ano com resultados excelentes. Vale destacar que a medalhista olímpica ganhou todos os eventos da SLS nesta temporada. Assim, a atleta de apenas 14 anos se tornou campeã mundial de skate street e marcou ainda mais seu nome na história do esporte.

RAYSSA LEAL COROA MOMENTO DO SKATE!

Desde as Olimpíadas, o skate entrou para o cotidiano dos brasileiros. E a etapa do ‘Super Crown’ coroou este momento mais do que especial. Com a Arena Carioca 1 no Parque Olímpico lotada, Rayssa Leal e companhia puderam sentir a atmosfera do brasileiro (a). Com o apoio da torcida, a atleta foi no embalo e se deu bem na disputa decisiva.

Além da ‘Fadinha’, Pâmela Rosa também representou o Brasil e ajudou a compatriota na luta contra as japonesas. No entano, apesar da forte presença, Pâmela não conseguiu se colocar entre as quatro primeiras rumo à Super Final. Com manobras arriscadas e sorriso no rosto, a medalhista olímpica de 14 anos largou na frente e não deu chance para ninguém.

Rayssa Leal em ação
Rayssa Leal segue andando muito nas pistas de skate (Crédito: Reprodução / Instagram)

 

A PROVA

Com uma bela atuação desde a primeira volta, Rayssa se consolidou no topo com uma pontuação de 6.7; a brasileira foi seguida por Nakayama (que anotou 6.1) e pela conterrânea Pâmela Rosa (que finalizou o top 3 com 6.0). Na segunda volta, contudo, ‘assustou’ ao interromper sua apresentação aparentando dores fortes na região abdominal.

Nas manobras únicas e individuais, apesar do desconforto, conseguiu se classificar na 3ª posição com 18.9, que sucedeu Nakayama (19.4) e Nishiya (19.2), respectivamente. Pâmela, que havia ido bem na primeira rodada, vacilou na segunda e não conseguiu pontuação o suficiente para a decisão. Na finalíssima, cravou uma 7.4 após cair na primeira, disputou a nota final dos juízes com Nakayama e acabou levando a melhor, sendo campeã pelo Brasil na SLS.

sportbuzz