Salgueiro! Sócios decidem realizar nova eleição, e oposição questiona

Por Redação

Sob muita tensão, os sócios do Salgueiro decidiram neste domingo, 30, que o melhor para a escola será realizar uma nova eleição ainda em outubro e então decidir quem será o novo presidente da vermelho e branco. A data do pleito ainda será divulgada. Desta forma, novas chapas deverão ser formadas para disputar o cargo, já que Regina Celi está inelegível.

A assembleia extraordinária realizada na sede salgueirense decidiria sobre a aclamação da Chapa 2, liderada por André Vaz, ou determinaria a convocação de uma nova eleição. Pelo entendimento do presidente da mesa, Jayme Syrur, a oposição só poderia ser aclamada por unanimidade. Por causa disso, houve protestos.

O advogado da oposição, William Figueiredo, afirmou que a decisão de Jayme contrariou uma ordem judicial. Portanto, a Chapa 2 irá entrar com uma representação judicial nesta segunda-feira, 1, contestando o ocorrido.

– Mesmo com a ampla maioria para que a Chapa 2 fosse a vencedora, o que aconteceu foi um total desrespeito com os associados, os beneméritos e as decisões judiciais. O que se viu aqui acho que foi algo inédito porque o presidente da assembleia emitiu um parecer sobre a aclamação, sendo que ele não tem poder sobre isso. Ele tem que ser imparcial. Ele não podia conduzir da forma que fez, dando parecer. Foi um absurdo tremendo. Vamos buscar as vias judiciais pra corrigir esse absurdo. Tudo foi filmado, vamos anexar isso aos autos do processo para que o juiz possa se manifestar. Eu entendo que houve um desrespeito, mas temos que aguardar a Justiça – disse William.

Participaram da assembleia 216 associados. Entretanto, não houve contagem dos votos para saber quantas pessoas votaram a favor da chapa 2 e quantas queriam uma nova eleição.

A presidente Regina Celi saiu do evento sem conversar com os jornalistas presentes. Mas, nas redes sociais, a dirigente já havia manifestado a preferência por realizar uma nova eleição.

Regina Celi queria a realização de uma nova eleição – Foto: Reprodução Instagram

Relembre a briga judicial salgueirense

A disputa judicial na “Academia do Samba” se arrasta desde 6 de maio, quando Regina Celi foi reeleita para o quarto mandato consecutivo. No dia 16 do mesmo mês, entretanto, a Justiça do Rio considerou a chapa da presidente inelegível, numa ação movida pela oposição antes do pleito. Entre as irregularidades consideradas pelos desembargadores estava o limite de dois mandatos consecutivos na presidência, estabelecido pelo estatuto da agremiação.

Regina Celi e André Vaz travam briga pela presidência do Salgueiro desde maio – Foto: Arquivo

Desde então, situação e oposição travam uma disputa na Justiça. No dia 1° de agosto, o desembargador Werson Rêgo havia negado recursos dos dois lados: Regina Celi pedia novas eleições, enquanto a turma liderada por André Vaz pedia posse imediata. No despacho, o magistrado justificou que cabia à escola, por meio de suas instâncias, decidir o futuro da agremiação.

Em 2018, o Salgueiro fez um enredo sobre as mulheres negras e terminou em terceiro lugar – Foto: Raphael David/Riotur

Em agosto, a comissão eleitoral do Salgueiro, presidida por Marcelo Ferreira, deu um parecer determinando o afastamento de Regina Celi da presidência. Três dias depois, no entanto, o desembargador Werson Rêgo suspendeu o efeito da liminar obtida pela chapa de oposição, que determinava a saída de Regina Celi da presidência da agremiação dentro de 48 horas.

Na última decisão, o magistrado entendeu que a comissão eleitoral da escola não tinha poder para tal avaliação.

Fonte: Sambarazzo