Sobe para 871 nº de casos de sarampo confirmados em Manaus

Capital está em situação de emergência em razão da doença; são 4 mortes registradas no estado.

Foram registrados 871 casos confirmados de sarampo nesta semana em Manaus, conforme levantamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Em 7 dias, houve o aumento de 19 novas pessoas infectadas com a doença. A Zona Leste da cidade é onde se concentra a maior quantidade de casos.

De acordo com boletim epidemiológico, a zona Leste lidera a quantidade de casos, com 291 já confirmados, seguido da zona Norte com 279. Na Zona Sul são 155 casos de sarampo e na Zona Oeste de Manaus há 124 pessoas com sarampo. Já na Zona rural da capital foram 22 casos computados pelo órgão.

Já entre os casos suspeitos, passa de 6 mil segundo levantamento feito pela Semsa. O órgão aguarda a emissão do resultado de exames laboratoriais de 6.222 casos suspeitos.

De acordo com o último Boletim da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) sobre sarampo, o Amazonas tem 8.595 casos notificados da doença, distribuídos em 45 municípios.

Mortes

Em todo o Estado foram registradas quatro mortes de sarampo. O pequeno Heitor dos Santos Duarte, de 7 meses, foi o primeiro a ter a causa da morte por sarampo reconhecida pelos órgãos de saúde. Ele morreu no dia 28 de junho vítima de sarampo, em Manaus. A mãe, a dona de casa Cristiane do Santos, lamentou que o filho não tenha conseguido tomar a vacina tríplice viral, porque estava gripado.

O menino Heitor morava com os irmãos e a mãe, de 37 anos, no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus, a segunda maior área de concentração das notificações e casos confirmados de sarampo na capital. O bebê era o caçula de seis filhos.

O bebê foi levado ao Hospital da Criança Joãozinho pela primeira vez no dia 3 de junho, com sintomas de gripe. No local, ele foi diagnosticado com pneumonia e ficou internado por quatro dias. A mãe acredita que o filho tenha contraído a doença na unidade.

Em seguida, um bebê de sete meses, do município de Autazes morreu vítima da doença. A criança morreu no dia 12 de julho no Pronto-Socorro da Criança da Zona Leste, em Manaus, mas o diagnóstico só foi confirmado nesta terça-feira (14). O diretor da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Bernardino Albuquerque, explicou que a criança apresentava um quadro avançado de desnutrição e pneumonia.

A terceira morte ocorreu no dia 17 de agosto, em Manaus. A vítima era um bebê de seis meses, que morava na capital amazonense. O bebê foi internado no dia 29 de junho, no Hospital Plantão Araújo, Zona Leste de Manaus. Após complicações da doença, morreu no último dia 5 de agosto.

Já, a última morte confirmada pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), foi uma mulher de 44 anos, do município de Autazes, a 112 km de Manaus.

Ela deu entrada no Hospital da Zona Norte, em Manaus, no dia 27 de julho, apresentando comorbidade (hipertensão, diabetes) e foi a óbito por complicações do sarampo no dia 4 de agosto. O diagnóstico foi confirmado nesta terça-feira, dia 28 de agosto.

Entenda o que é sarampo, quais os sintomas, como é o tratamento e quem deve se vacinar (Foto: Infografia: Karina Almeida/G1)

Entenda o que é sarampo, quais os sintomas, como é o tratamento e quem deve se vacinar (Foto: Infografia: Karina Almeida/G1)

Campanha de vacinação é prorrogada

Manaus, que antecipou a campanha de vacinação para sarampo, entre abril e junho, superou a meta com 103,02% de cobertura. O município aplicou 142.834 doses da vacina. A meta era 138.641. Para poliomielite, a cobertura na capital está em 93,17%, com 129.177 doses aplicadas até o momento.

Fonte: G1