Início Brasil Tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu é assassinado durante festa de...

Tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu é assassinado durante festa de aniversário

Atirador é policial penitenciário federal e apoiador do presidente Jair Bolsonaro

O tesoureiro do diretório municipal do PT de Foz do Iguaçu (PR), Marcelo Arruda, foi assassinado a tiros pelo policial penitenciário federal Jorge José da Rocha Guaranho na madrugada deste domingo, 10. O crime ocorreu durante a festa de comemoração dos 50 anos do petista, que acontecia na Associação Recreativa Esportiva Saúde Física Itaipu (Aresfi), na cidade paranaense.
Segundo testemunhas, Guaranho teria parado o carro na porta da associação onde ocorria a festa — cujo tema era o PT e a campanha de Lula à presidência —, e gritado “Aqui é Bolsonaro” e “mito”, além de ameaçar os presentes. Ele estaria acompanhado de uma mulher e uma criança. Um dos convidados, que preferiu não se identificar, disse que o policial penitenciário deixou o local, mas prometeu voltar e “acabar com todo todo mundo”.
Com receio de que o agente penitenciário retornasse, Arruda, que era da Guarda Municipal de Foz de Iguaçu, decidiu pegar sua arma no carro. Já no fim da festa, Guaranho retornou sozinho ao salão do clube e fez três disparos contra o petista. Mesmo ferido, ele revidou, atingindo o agressor na cabeça. Ambos foram levados para o Hospital Municipal Padre Germano Lauck. Arruda veio a óbito na madrugada deste domingo, 10. Guaranho está internado de acordo com informações da Polícia Civil..
Arruda foi candidato pelo PT a vice-prefeito de Foz de Iguaçu e era diretor do Sindicato dos Servidores Municipais. Reconhecido pela militância política e pelas críticas ao governo Bolsonaro, o guarda municipal já tinha recebido ameaças de simpatizantes do presidente.
Testemunhas ressaltaram que, na festa, não havia apenas petistas, mas também bolsonaristas amigos da vítima. Segundo os relatos, o tema da comemoração chegou a ser alvo de brincadeiras por parte daqueles que não apoiam Lula.
A Delegacia de Homicídios investiga se o crime teve motivações políticas, tese defendida por amigos de Arruda que participavam da festa. Segundo o boletim de ocorrência, Arruda foi baleado duas vezes. Os policiais requisitaram as imagens das câmeras de Segurança à Aresfi. Já o secretário municipal de Segurança Pública de Foz do Iguaçu, Marcos Antonio Janhke, afirmou que o crime ocorreu “por intolerância política”.
Continua após a publicidade
A Prefeitura de Foz do Iguaçu divulgou nota de pesar pela morte do servidor, que pertencia  aos quadros da Guarda Municipal há 28 anos. O velório de Arruda acontece na tarde deste domingo.