Vasco e 777 assinam contrato, e grupo americano passa a controlar oficialmente o futebol

Vasco e 777 Partners concluíram, nesta sexta-feira, a venda de 70% da Sociedade Anônima do Futebol por R$ 700 milhões. A empresa americana agora está oficialmente com o controle do futebol vascaíno.

As assinaturas dos contratos aconteceram no início da noite desta sexta-feira, em um escritório de advocacia no Rio de Janeiro. Com a conclusão do negociação, que durou cerca de oito meses, o grupo americano transferiu R$ 120 milhões para a conta da SAF do Vasco. Parte desse dinheiro será usada para pagar os salários desse mês.

Executivos da 777 e Jorge Salgado — Foto: João Pedro Isidro/CRVG

Participaram da conclusão da operação o presidente Jorge Salgado, o 1º vice-presidente Geral Carlos Roberto Osório e o 2º vice-presidente Geral Roberto Duque Estrada, além do vice-presidente jurídico José Cândido Bulhões e do vice-presidente de finanças Adriano Mendes. Pela 777 Partners, estiveram Don Dransfield, CEO do 777 Football Group, Nicolás Maya, gerente de operações, e Luiz Mello, CEO do Vasco da Gama SAF. O Vasco foi representado na operação por KPMG e BMA Advogados, e a 777, pelo Campos Mello Advogados

Veja entrevista exclusiva feita na última quarta com Josh Wander, sócio da 777 Partners

A 777 Partners agora é dona de 70% da SAF do Vasco. O clube manteve 30% da empresa.

Além dos R$ 120 milhões transferidos nesta sexta, o grupo americano já havia adiantado R$ 70 milhões em março, completando, assim, os R$ 190 milhões previstos para 2022. O restante do dinheiro (R$ 510 milhões) será investido até 2026. A empresa também se comprometeu a assumir a dívida de R$ 700 milhões do clube.

5 coisas que você precisa saber sobre SAF

Em sua conta no Twitter, Jorge Salgado comemorou a conclusão da negociação.

– Assinamos todos os contratos, fizemos a transferência do controle acionário da SAF e a 777 fez o primeiro pagamento, que já está no caixa do Vasco SAF. O momento é de disruptura com o passado. Reafirmando o pioneirismo de nosso clube, realizamos a maior transação da história do futebol brasileiro, colocando o futebol do Vasco num ambiente totalmente profissional. Equacionamos a dramática questão do endividamento e o futebol terá a capacidade de investimento para recolocar nossa equipe como protagonista do futebol brasileiro e sul-americano – postou o presidente.

Veja a íntegra da entrevista de Josh Wander ao ge em fevereiro

Em fevereiro, Vasco e 777 assinaram em Miami um acordo não vinculante para venda de 70% do futebol do clube. Desde então, o negócio passou duas vezes por votação de conselheiros e sócios do clube. A aprovação final ocorreu no dia 7 de agosto, com aval de 79,4% dos sócios que participaram da Assembleia Geral.

Vasco em Brusque: confira informações sobre o jogo de sábado

Nas últimas semanas, as duas partes acertaram os últimos detalhes do acordo. A partir desta sexta, a 777 Partners controla o futebol do Vasco. O homem forte na operação no dia a dia dos assuntos relacionados ao campo será Paulo Bracks, diretor com passagens por Internacional e América-MG.

O CEO da empresa será Luiz Mello, que ocupava o mesmo cargo no clube. A nomeação do executivo para a SAF causou incômodo em diversos vice-presidentes do Vasco, que enxergaram conflito de interesses por parte de Mello. O sócio-fundador da 777, Josh Wander, disse ao ge não ver qualquer problema na escolha do profissional.

Até o momento, além de Paulo Bracks e Luiz Mello, a 777 Partners acertou a contratação de Lúcio Barbosa para ser o diretor financeiro da SAF do Vasco. A 777 tem cinco cadeiras de sete no Conselho de Administração e duas cadeiras de três no Conselho Fiscal.

O Vasco se junta a Genoa (Itália), Standard Liège (Bélgica) e Red Star (França) no cartel de clubes que pertencem à 777, que também tem uma participação minoritária no Sevilla, da Espanha.

GE