Virada de mesa do Grupo Especial pode ter reviravolta e MP monitora

A virada de mesa que salvou a Imperatriz do rebaixamento no Carnaval 2019 ainda tem chance de ser revogada, segundo informações do jornal O Dia. A diretoria da Liesa deve se reunir até o próximo dia 26 de junho para a leitura da ata da reunião ocorrida no último dia 03. Na ocasião oito escolas votaram pela manutenção da Imperatriz e rebaixamento apenas do Império Serrano. Vila Isabel, Mangueira, Portela, Beija-Flor e Viradouro votaram contra.

O Ministério público monitora a situação. O promotor Rodrigo Terra disse que o prazo para não acionar a Liga judicialmente por descumprimento do termo de ajustamento de conduta (Tac) é até 28 de junho. Terra ressaltou que, caso a Liesa desista da decisão, o MP desistiria da ação judicial, pois não haveria descumprimento do TAC.

“Estamos aguardando a formalização da ata para tomar as medidas cabíveis. Se confirmada, a virada de mesa deve ser anulada judicialmente, além de aplicada uma medida para que não ocorram novas manobras nos próximos anos. A Liga ficou de concluir a confecção dessa ata. Caso não haja a formalização ou o pagamento espontâneo da multa, vamos executar o valor judicialmente”, disse o promotor em entrevista ao jornal O Dia.

Fonte: Carnavalesco