Ministério Público diz que vai acompanhar investigação da morte de 17 pessoas durante confronto com polícia em Manaus

O Ministério Público do Amazonas (MPAM) instaurou, nesta quarta-feira (30), procedimento administrativo para acompanhar a apuração das mortes de 17 pessoas na madrugada desta quarta-feira (30), em Manaus. As mortes ocorreram, segundo o comando da Polícia Militar, depois de confronto com policiais.

De acordo com o MP, o subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Jurídicos (SubJur), Carlos Fábio Monteiro, disse que procedimento administrativo será coordenado pelo 61ª Promotoria de Justiça de Controle Externo da Atividade Policial (61ª Proceap).

Após troca de tiros entre policias e um grupo de traficantes de uma facção criminosa ocorreu entre as 22h45 de terça-feira (29) às 3h da madrugada desta quarta. Nenhum dos 60 PM que participaram da ação foi baleado.

De acordo com o comandante geral da PM, coronel Ayrton Norte, a polícia recebeu a denúncia de que cerca de 50 pessoas armadas estariam em um caminhão baú, em direção a um beco conhecido como JB Silva, na Rua Magalhães Barata, entre os bairros Crespo e Betânia, na Zona Sul. Ainda não se tem informações sobre a localização do caminhão que era usado pelo grupo.

Ainda segundo a polícia, o grupo se preparava para cometer homicídios de rivais para “tomar” o controle de áreas de tráfico na localidade.

Todos os 17 baleados foram conduzidos ao Pronto-Socorro e Hospital 28 de agosto, onde foram confirmadas as mortes. Eles serão levados ao Instituto Médico Legal (IML) de Manaus ao longo da manhã.

A polícia apreendeu durante a ação 17 armas de fogo, entre revólveres e armas de grosso calibre.

Operação da PM contra traficantes deixa 17 mortos em Manaus — Foto: Juliane Monteiro/G1

Operação da PM contra traficantes deixa 17 mortos em Manaus — Foto: Juliane Monteiro/G1

Fonte: G1